HBO Max: nova gestão pode reduzir futuros investimentos em conteúdos no serviço

HBO Max / Divulgação

De acordo com informações divulgadas pelo site Notícias da TV, o atual CEO da Warner Bros. Discovery, David Zaslav, começou a realizar aquilo que prometeu antes mesmo de assumir a gestão: os cortes de custos que pretendia fazer assim que fosse concretizada a fusão da Warner Bros com a Discovery. Estima-se que após a junção das duas empresas, a Discovery teria herdado uma dívida equivalente a R$ 282 bilhões, de modo que é esperado que um corte nas despesas no valor de aproximadamente R$ 15 bilhões seja feito no prazo de dois anos, independente de críticas internas e do quanto as decisões da nova gestão soem impopulares.

Nos corredores da empresa, Zaslav teria afirmado em abril que “não tem interesse em vencer a guerra de conteúdo“, o que agradou investidores e analistas, que afirmam como maior problema atual da plataforma seu fluxo de caixa, decorrente dos altos investimentos em conteúdos que não tem gerado lucros em curto prazo, o que fez com que o serviço ainda não proporcione o rendimento esperado, mesmo que tenha alcançado marcos consideráveis recentes em adesão de novos assinantes e estejam inclusive despertando preocupação em concorrentes diretos como a Netflix, cujas ações estariam despencando na bolsa de valores.

Segundo a matéria, foram demitidos na última quinta-feira (12) executivos responsáveis pelo comando direto da Warner Bros Discovery em polos referentes a países como Estados Unidos, Irlanda, Reino Unido e também na região da América Latina, além de presidentes e gerentes gerais de canais como TNT, TBS e TruTV.

Com a troca de liderança na América Latina, funcionários no Brasil estão apreensivos com novas mudanças que poderão acontecer e que podem culminar na extinção de núcleos criados recentemente.

Mais informações em breve.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.