Da Redação: nossas escolhas em 2021

ANMTV / Divulgação

Estamos chegando a mais um final de ano.. e que ano. Tivemos tantos altos e baixos, desafios, conquistas, e o sonho de um amanhã melhor a cada novo dia. A pandemia nos manteve assustados por mais uma vez, mas seguimos em frente, com a confiança de que tempos melhores estão por vir. Nos apaixonamos pela primeira vez, ou mais uma vez; cometemos erros, aprendemos, crescemos, nos tornamos mais humanos. Muito podemos tirar deste ano que está quase acabando, e mesmo diante de todas as adversidades, devemos agradecer. Estamos vivos.

Assistimos, jogamos e lemos muita coisa boa (e ruim). A nossa redação consumiu bastante conteúdo neste ano, e abaixo, alguns de nossos redatores destacam aquilo que mais gostaram em 2021. Aos que puderam participar, da diretoria, o nosso muito obrigado. Aos que não puderam, estão demitidos (é brincadeira, haha).

Sem mais delongas, vamos as escolhas da redação!


Caio Eduardo

Toei Company / Divulgação

  • Kamen Rider Revice: Comemorando o aniversário de 50 anos da franquia e por pouco não sendo a minha série de Toku favorita do ano (ainda vai sair um textinho especial para ela), Kamen Rider Revice tem tudo de bom que uma série do gênero de Tokusatsu pode pedir. Ótimos personagens, lindas cenas de ação, heróis e vilões com visuais maneiros, tudo isso amarrado em uma ótima história que te trás uma montanha-russa de emoções a cada episódio. Talvez seja um pouco difícil passar pelas horríveis formas de CGI que o herói usa durante a série, mas todo o resto é tão bom que você acaba relevando isso. Então, aproveite que Revice ainda está no seu começo e faça dele a sua porta de entrada para o gênero de Tokusatsu. Ah, e antes que eu me esqueça, nessa série tem o Batman e o Homem-Aranha saindo no soco.

Shogakukan / Divulgação

  • Kamen Rider Kuuga: Com uma história totalmente diferente da série de TV e com uma pegada mais sombria e violenta, o mangá que digo para dar uma olhada é do primeiro Rider Heisei. Primeiro: sim, eu tô recomendando mais conteúdo de Kamen Rider. Segundo: não, você não precisa ter assistido a série de TV do Kuuga ou qualquer outra de Kamen Rider para ler essa belezura aqui. O mangá foi feito com a ideia de pegar um novo público, modernizando a origem e alguns outros elementos da série de televisão, assim como adicionando coisas de outras séries da franquia, expandindo muito mais esse universo. Se você curte um bom mangá de ação, com toques de terror sobrenatural, esse aqui é para você. Além disso, sua chegada no Brasil pela editora JBC, ajuda muito quem quiser pegar a cópia física dessa ótima historia.

Bones / Divulgação

  • Soul Eater: Se está com saudade de um shonen bem clássico, com poderes criativos, personagens carismáticos, antagonistas memoráveis e muitos FEELS!!!, lhe te trago Soul Eater. Misturando a estética de terror com uma boa dose de piadas incríveis, nessa história você pode esperar o inesperável e se surpreender com o esperável. Nosso elenco de protagonista é muito diverso e criativo, e eu tenho certeza que ao menos uma das duplas vai te fisgar. A história desse anime consegue ir de zero a cem muito rápido, de uma maneira muito empolgante que te deixa vidrado na cadeira. E mesmo que a partir do episódio 39 ele tenha um final filler (leia o mangá), ele nunca deixa de te entreter. Mas você deve estar se perguntando, Soul Eater é de 2008, por que está aqui? E bem, na última semana do ano, a Funimation nos deu esse grande presente de natal, onde finalmente anunciou a dublagem de Soul Eater já para janeiro do ano que vem. E eu mal posso esperar para rever um dos meus animes favoritos agora dublados.

20th Century Studios / Divulgação

  • Free Guy – Assumindo o Controle: Esse filme era para sair ano passado, mas devido a pandemia e a compra da Fox pela Disney só viu a luz do dia esse ano. E bem, eu fico muito grato por isso. Free Guy é um ótimo filme pipocão, divertido do começo ao fim, com cenas hilarias e uma ótima ação. O ponto alto dele para mim é seu trabalho de meta linguagem. Guy é um personagem de jogo e isso é levado a quinta potência com várias referências a cultura pop. Ryan Reynolds, nosso amado Deadpool, trás um protagonista muito amável e carismático, fazendo um humor sem igual. Por mais que tenha alguns defeitos, e seja um pouco genérico em alguns pontos, Free Guy é uma ótimo pedida para ver com os amigos e simplesmente dar uma boa risada.

The Pokémon Company / Divulgação

  • Pokémon Unite: Sem duvidas o jogo que mais joguei esse ano. Com sua chegada para o mercado mobile gratuitamente em julho de 2021, Pokémon Unite trás um MOBA super divertido e pratico de jogar, perfeito para os jogadores casuais como eu. Unite tem atualizações frequentes e a cada duas semanas adiciona um monstrinho novo com mecânica únicas, sempre trazendo um gosto novo e desafiador para quem quer jogar. Além disso, caso queria se aventurar por esse lado, o jogo possui um competitivo crescente, tendo como alguns de seus melhores jogadores mundiais sendo aqui do Brasil. Então se assim como eu você curte a franquia mais amada de bichinhos do mundo, mas quer um jogo diferente, talvez Unite seja uma boa pedida.
E-mail: [email protected]

Charles Minoru

2021 não foi um ano onde consumi muito entretenimento, houveram muitas mudanças na minha rotina e o tempo livre se tornou bem mais curto, meu Top 5 de 2021 engloba filmes, séries e animes, lembrando sempre que essas são as produções que mais me agradaram e não necessariamente agradaram outras pessoas.

Warner Bros. / Divulgação

  • Liga da Justiça de Zack Snyder: Como grande fã da DC Comics não tinha como deixar esse filme fora da minha lista, com certeza um dos melhores filmes de heróis que já assisti e era o tratamento que a Liga merecia nos cinemas. O corte do diretor apresentou um longa muito diferente da versão que foi pro cinema. O peso que outros personagens tiveram o deixou bem mais interessante, cuja divisão por capítulos melhorou o entendimento do enredo. Teria sido muito melhor se tivesse chegado em duas partes nas telonas do que aquela versão enxugada que assistimos.

Warner Bros. / Divulgação

  • Duna: Depois de tanto tempo sem ir no cinema assistir algum filme que não fosse uma adaptação de HQ, Duna foi uma grande surpresa, sempre ouvi falar desse titulo, mas nunca havia assistido e muito menos lido os livros. Quando foi anunciado esse remake eu não dei a mínima, inclusive isso foi um ponto que ajudou muito na experiência, pois como não tinha visto nenhum trailer ou pesquisado sobre o o longa, tudo foi realmente surpreendente, uma vez que minhas expectativas eram zero. (Leia minha opinião completa sobre o filme clicando aqui).

Ufotable / Divulgação

  • Kimetsu no Yaiba – Demon Slayer: Finalmente em 2021 assisti ao fenômeno de 2019 graças a dublagem que chegou a Netflix. Apesar do enredo simples e com alguns clichês, a historia de Tanjiro e seus amigos me encantou exatamente por isso, não tentaram reinventar a roda, usaram da simplicidade e uma animação maravilhosa pra contar uma aventura no melhor estilo “anime de lutinha” que tanto faz sucesso com uma parcela grande do publico.

Netflix / Divulgação

  • The Ranch: Uma das minhas paixões são series de comédia, acredito que por ter crescido assistindo a sitcoms no SBT. The Ranch foi uma das primeiras series de comédia originais Netflix e a plataforma sempre me recomendou o titulo, sendo que depois de tanta insistência resolvi dar uma chance e me surpreendi. Estrelada por Ashton Kutcher e Danny Masterson como os irmãos Colt e Galo (Rooster) Bennet. Maratonei as 8 partes da série assistindo pelo menos 1 episodio por dia (no máximo 3), dei muitas risadas, mas também chorei muito. A trama conversa muito com as pessoas na minha faixa de idade (entre o final dos 25 e 30 e poucos anos) — percebi aliás que sou muito mais velho por me identificar mais com o pai dos protagonista Beau do que com eles que tem a idade mais próxima da minha.

Reprodução.

  • Series da Marvel no Disney+: Aqui terei que fazer um combo 3 em 1, pois as séries WandaVision, Loki e What IF que integram o universo da Marvel/Disney com certeza foram marcantes para mim em 2021  (ainda não assisti Gavião Arqueiro). Eu não sou fã ferrenho da Marvel e seu universo, mas acompanho a maioria dos filmes e séries e não tinha muitas expectativas em relação a essas produções do Disney+, esperava no mínimo a mesma qualidade das séries da Netflix. E entregaram algo além!

Começando por WandaVision que apresentou um estilo muito diferente de série de heróis e que a cada semana me deixava com mais duvidas do que na semana anterior, teve uma reviravolta surpreendente que conseguiu se interligar ao universo dos filmes e deixar pontas para as outras séries.

Loki: Depois da primeira entrega da Marvel/Disney a expectativa era alta, até por que tratava-se de um personagem morto nos cinemas, qual seria a historia a se contar depois disso? E o que foi apresentado conseguiu me agradar já com a explicação do primeiro episodio e as semanas seguintes foram tão surpreendentes quanto as de Wandavision. E claro, aquele final maravilhoso que me tornou fã do Jonathan Majors o diálogo final sensacional que mexeu com todo o multiverso!

What If?…: Animações nunca foram o forte da Marvel, mas essa série apresenta um qualidade muito boa e as histórias que pareciam ser apenas jogadas como fanservice conseguiram se unir para uma conclusão muito boa.

Ambas as 3 me deixaram ansioso por continuações dessas historias, sejam em novas temporadas ou mesmo em filmes, pois as consequências de cada uma delas tem reflexo em todo o multiverso!

Valem umas menções honrosas sem muitos detalhes:

Disney+

  • Turner e Hooch
  • Virando o Jogo dos Campeões
  • Big Shot: Treinador de Elite

Netflix

  • Round Six
  • La Casa de Papel
  • Cidade Invisível
  • Bom dia Veronica
  • Army of Dead
  • Alerta Vermelho
  • Dragão dos Desejos

E os animes :

  • Tiger e Bunny
  • Tokyo Revengers
  • Jujutsu Kaisen

Que em 2022 todos possamos ser mais organizados para enxergar o que é prioridade de verdade para assim termos tempo pra consumir todo o entretenimento que vai ser lançado no decorrer do ano e também para por em dias as coisas atrasadas! Que Deus ( Ou a divindade que você acredita) te abençoe!

Instagram: Charles_Minoru/Redminoru
Twitter: @charlesminoru
E-mail: [email protected]

Diego Regis

Este foi um ano complicado e ter tido a oportunidade de ingressar na equipe do ANMTV foi o ponto alto dele, tem sido interessante fazer parte deste mundo! E junto com esta contratação, estas produções aqui ajudaram a deixar o ano um pouco melhor.

Marvel Studios / Divulgação

  • Wandavision: Primeira série da Marvel Studios e que me impactou de um jeito muito positivo. A Marvel brincou aqui de um jeito muito legal, toda semana um mistério e teoria diferente, foi extremamente divertido acompanhar essa história da Feiticeira Escarlate junto com o Visão, sem falar da maravilhosa Agatha Harkness.

Amazon Prime Video / Divulgação

  • Invencível (Invencible): Série animada simplesmente maravilhosa da Amazon Prime Video, me apresentou algo que eu nunca imaginaria ver numa animação de super heróis. Personagens muito bem produzidos e uma história que só crescia a cada capítulo, culminando numa revelação digna de novela das 21h. Ela divide meu coração junto com The Boys, sem dúvidas.

Netflix/ Divulgação

  • Profecia do Inferno – Hellbound: Fiquei em dúvida entre colocar esta série e Round 6, ambas sul-coreanas, mas Hellbound me conquistou mais. A história dela mostra o quão cega toda uma sociedade pode ser apenas por medo de ir para o inferno e, por consequência deste medo, saem cometendo atrocidades em nome de Deus. A reviravolta no meio da série me conquistou ainda mais e seu final me deixou bastante surpreso. Dona Netflix, preciso de uma segunda temporada!

Shueisha / Ufotable / Divulgação

  • Demon Slayer – O Filme: Mugen Train: Demon Slayer é meu anime shounen queridinho atualmente, junto com Jujutsu Kaisen, e este filme me emocionou muito. A história foi muito bem contada e a animação estava impecável! Aquele final me fez chorar por um longo tempo, tanto que ainda estou digerindo todo o ocorrido antes de acompanhar a nova temporada de Tanjirou e seus amigos…

Warner Bros. / Divulgação

  • O Esquadrão Suicida: Diferente da maioria, eu não odeio o primeiro filme, mas neste segundo… James Gunn fez um show de mágica acontecer. O longa te prende do inicio ao fim, ele te faz vibrar! Arlequina estava maravilhosa demais e a cena dela fugindo do ditador e mandando bala no corredor é a melhor do filme inteiro, Tubarão Rei também foi extremamente fofo e a Caça-Ratos 2 bastante carismática. Apenas palmas para esta produção.

Netflix/ Divulgação

  • Menção Honrosa: Cidade Invisível – Série 100% nacional e que movimentou bastante as redes sociais, magia e fantasia retirada diretamente do folclore brasileiro sendo levada pro mundo através da Netflix. Gostei muito da série e dos personagens, achei meio semelhante a série Grimm em alguns aspectos, espero que a segunda temporada mostre mais criaturas diferentes e tenha mais magia acontecendo, além de revelar mais sobre o protagonista.

Se possível, gostaria ainda de citar estas produções que também me agradaram bastante neste ano de 2021:

  • Ranking of Kings (Anime)
  • Jujutsu Kaisen (Anime)
  • Shang-Chi e a Lenda dos 10 anéis (Fime/Marvel Studios)
  • Não Olhe Para Cima (Filme/Netflix)
  • Sex Education (Série/Netflix)
  • Locke & Key (Série/Netflix)
  • Chucky (Série)

Um feliz ano novo para todos os nossos leitores! Que 2022 seja um ano repleto de conquistas e felicidades, vamos continuar nos cuidando pois a pandemia, infelizmente, ainda está por ai, mas com sorte, e a vacina, sairemos dessa juntos e vitoriosos. Que Kamisama abençoe a todos rs.

Instagram: @regis_x
Twitter: @SaintSiger
E-mail:[email protected]

Edmar Filho

2021 foi um ano quase tão atípico quanto o anterior pra mim, e ao menos entre algumas das reviravoltas positivas que vivenciei, esteve entre elas a oportunidade de integrar a equipe do ANMTV após anos acessando o site e sendo um simples fã do trabalho que era feito por aqui, podendo agora fazer minha parte para tornar o acesso a esse ambiente virtual uma experiência ainda mais agradável aos que por aqui passarem.

PixelHive / Soedesco / Divulgação

  • Kaze and the Wild Masks: Como alguém que foi moldado por jogos de plataforma no Super Nintendo, posso afirmar que este jogo brasileiro foi uma das maiores e mais gratas surpresas de 2021. As aventuras da coelha Kaze são uma verdadeira carta de amor a grandes franquias do gênero como Donkey Kong, Klonoa, Crash Bandicoot e Kid Chameleon, que são lembradas com carinho pelas gerações de gamers que cativaram. Apesar de um tanto quanto curta, a experiência desse game vale cada segundo investido e este que vos escreve recomenda que aproveitem a promoção de fim de ano da Steam para darem uma chance a essa pérola dos jogos nacionais a um preço convidativo.

SEGA / IDW / Divulgação

  • Sonic The Hedgehog – IDW: Embora sempre tenha sido um fã do ouriço azul da SEGA, meu contato com o personagem se resumiu por alguns bons anos às séries animadas do personagem, e só pude aproveitar os jogos um pouco mais velho, os quadrinhos do personagem então só esse ano, por meio da versão IDW, que vem sendo publicada no Brasil em um trabalho excelente feito pela Editora Novo Século através do selo Geek Topia. Na história, que ocorre depois dos eventos do jogo Sonic Forces, Sonic e seus companheiros precisam vencer as forças robóticas remanescentes do já derrotado Dr. Eggman, que seguem ameaçando a paz do mundo mais organizadas que antes, guiadas agora por uma nova e desconhecida liderança.

Kadokawa Shoten / Divulgação

  • Crônicas das Guerras de Lodoss – A Bruxa Cinzenta: Após anos ouvindo falar de forma superficial sobre a influência de Lodoss em inúmeras obras de fantasia e aventura japonesas, pude finalmente ser apresentado à saga do grupo de aventureiros liderado pelo guerreiro Parn e que teve seu primeiro volume publicada por aqui pela Editora New Pop em junho. Na história, após 30 anos de uma guerra contra demônios a ilha de Lodoss, que enfim mal retomava a paz, já estava em meio ao prenúncio de uma nova guerra orquestrada por uma misteriosa e maquiavélica feiticeira que tem sua tramóia descoberta pelo grupo de heróis, que agora precisam encontrar formas de impedir que a bruxa concretize seus planos.

Toei Animation / TV Tokyo / Divulgação

  • Dragon Quest – The Adventure of Dai: Se em 2020 o novo anime de Dragon Quest foi apresentado ao público na temporada de Outono e ainda não havia mostrado bem ao que veio, em 2021 a série teve enfim oportunidade de se consolidar como um dos melhores remakes de animes clássicos já feitos e um dos melhores animes do ano, ainda que ofuscado eventualmente por outros mega hits novos de temporada. No enredo, somos apresentados a Dai, um menino criado em uma ilha ao lado de monstros que se vê obrigado a agir como herói inicialmente para resgatar seu avô adotivo de um grupo de falsos aventureiros, e após conhecer o poderoso guerreiro Avan, parte em uma jornada para impedir que o exército liderado pelo demoníaco Rei Vearn conquiste e destrua o mundo para se firmar como um verdadeiro herói.

Warner Bros / Divulgação

  • Looney Tunes Cartoons: Com a chegada do serviço HBO Max em junho deste ano no Brasil, finalmente o público brasileiro pôde conferir a aclamada e divertidíssima animação que trouxe de volta Pernalonga e toda a turma dos Looney Tunes em situação mais “lunáticas” do que jamais vimos, não devendo em nada aos clássicos desenhos animados que assistimos quando éramos crianças. Esse é sem dúvida não só um excelente reboot, como também uma digna e honrada homenagem ao legado de personagens tão icônicos na história da animação mundial.

Menção Honrosa: Monster Boy And The Cursed Kingdom

The Game Atelier / FDG Entertainment / Divulgação

Embora esse jogo tenha sido produzido e publicado em 2019, só pude jogá-lo em 2021 via PC, e foi uma das experiências mais divertidas e viciantes que tive durante o ano. Nesse game em estilo metroidvania, fortemente inspirado na série Wonder Boy, acompanhamos o jovem guerreiro Jin, que busca desfazer um feitiço feito por seu tio Nabu, que transformou ele e a todos de seu reino em animais humanóides. Agora, o rapaz que se tornou um porco é orientado por um mago da corte a partir em busca de 4 orbes sagradas de animais (serpente, sapo, leão e dragão) espalhadas pelo mundo, que lhes darão diferentes habilidades para enfrentar ameaças e obstáculos pelo caminho, sendo também fundamentais para desfazer o encanto e fazer com que o jovem e os habitantes do reino voltem ao normal.

Um 2022 repleto de boas notícias e novas experiências incríveis proporcionados pelo entretenimento a todos os nossos leitores.

Instagram: @ed_no_insta
Facebook: https://www.facebook.com/edmar.filho.12
Twitter: @Ed_AS_Filho
E-mail: [email protected]

Erick Ferreira

Netflix / Divulgação

  • Arcane: Citar Arcane, da Netflix, como uma das melhores produções do ano é chover no molhado. A animação está em praticamente todas as listas pela internet e não é por acaso. Praticamente todos os aspectos da obra são impecáveis: um estilo de animação incomum, personagens carismáticos, relacionáveis e com motivações críveis e uma construção de mundo impressionante. A arte também é um dos destaques. Beira o exagero, como em “O Príncipe Dragão”, mas é contida o suficiente para não parecer brega. Tudo que está em cena tem importância e significado, contando histórias subliminares e nos preparando para momentos futuros. Arcane não está apenas no topo das animações de 2021, mas das produções de audiovisual desse ano.

Globoplay / Divulgação

  • O Caso Evandro: O gênero de True Crime tem crescido bastante no Brasil. Se antes recorríamos a séries estadunidenses para consumir conteúdos sobre esse tema, agora temos visto a ascensão de criadores de conteúdo que tratam de crimes brasileiros. Nesse contexto surge O Caso Evandro, uma série documental do Globoplay que adapta o podcast Projeto Humanos – O Caso Evandro, de Ivan Mizanzuk. Com um roteiro cheio de reviravoltas – que realmente aconteceram na vida real – a série investiga o desaparecimento de uma criança nos anos 90 e expõe diversas problemáticas, como o alto índice de desaparecimento infantil da época, o fanatismo religioso, a ineficiência de nosso sistema judiciário e a truculência policial. E para fechar com chave de ouro, após algumas semanas da exibição do último episódio, a série ganhou um novo capítulo, onde os desdobramentos do documentário são apresentados ao público. Em meio a tantos documentários de ex-bbbs que mais parecem matérias do fantástico estendidas, O Caso Evandro (juntamente com Em Nome de Deus) é uma pérola no catálogo do Globoplay.

Netflix / Divulgação

  • Sex Education: Séries adolescentes não são o meu tipo de programa de TV favorito, muito pelo contrário. Acho a maioria das convenções do gênero bastante irritantes, como os tropos batidos (a patricinha, o esportista, o nerd, o amigo gay etc.), os triângulos amorosos e os atores de 30 interpretando pessoas de 13 (alô, Riverdale!). Mas Sex Education é muito maior do que isso. Primeiro, porque ela não tem medo de tratar de temas delicados e não se atém ao puritanismo ao falar sobre sexualidade. Segundo, porque ela se aproveita de nossas expectativas sobre séries adolescentes e se torna subversiva. A patricinha é uma pessoa sensível e com questões familiares nada fúteis; o esportista enfrenta problemas de ansiedade pela pressão de se dar bem nas competições; o nerd as vezes é um babaca e pega a menina popular; o amigo gay não é só um acessório narrativo, ele tem uma história independente e motivações próprias, não se apoiando apenas no protagonista. Para mim, é aqui que está o maior mérito da série: ela humaniza personagens estereotipados e os torna relacionáveis. A terceira temporada de Sex Education (disponível na Netflix) foi a melhor até agora e uma das melhores séries que vi esse ano.

Paramount+ / Divulgação

  • Star Trek – Subalternos: Depois do lançamento de Star Trek:Discovery, em 2017, a ViacomCBS notou o potencial que a franquia ainda tinha e começou a expandi-la. Tivemos dois spin-offs de Discovery anunciados e um personagem antigo retornou em Star Trek: Picard. Mas ainda não foi suficiente, já que além de uma animação infantil (Star Trek: Prodigy), tivemos a estreia de uma animação adulta, intitulada Star Trek: Subalternos (Lower Decks, no original). Com duas temporadas já exibidas (disponíveis Paramount+), a animação subverte as histórias clássicas de jornadas nas estrelas. Em vez de acompanharmos as aventuras do ponto de vista da ponte (a central de controle e de navegação das naves espaciais), vemos como os funcionários de baixo nível da frota estelar – os subalternos – lidam com as tarefas do dia a dia. Extremamente sarcástica e com muita ação, a construção de mundo possibilita algumas aventuras que lembram muito Rick e Morty, mas recorrendo sempre ao cânone da franquia. A série também agrada os fãs mais antigos, com diversas referências e easter eggs especialmente colocados para esse público. Star Trek: Subalternos é a animação de comédia adulta mais divertida desse ano.

Editora Aleph / Reprodução

  • Flores Para Algernon: Há algum tempo, assisti um episódio de Os Simpsons em que Homer descobre que um giz de cera esteve alojado em seu cérebro por toda sua vida (episódio 9 da 12ª temporada, disponível no Star+). Ao removê-lo, a inteligência de Homer começa a se desenvolver e ele se torna um gênio. Esse é um dos meus episódios favoritos da série e ele é baseado no livro Flores de Algernon, publicado no Brasil pela editora Aleph. Na trama do livro, acompanhamos Charlie, um homem neurodivergente e de QI muito baixo que passa por um tratamento experimental para tornar-se inteligente. A partir daí, vemos o desenvolvimento mental e social de Charlie, até que ele começa a refletir sobre sua condição. Essa foi minha leitura favorita do ano, embora isso não signifique que foi uma leitura prazerosa. O livro é narrado em primeira pessoa por meio de um diário escrito pelo próprio Charlie, onde ele escancara o que há de pior nas pessoas: a mesquinharia, a inveja, o egoísmo e a hipocrisia. Flores para Algernon é uma história desoladora mas é uma leitura imprescindível.
Twitter: oerickmesmo

João Gabriel

Esse ano está chegando ao fim, apesar de não sentir falta dele, tive ótimos momentos que nunca imaginei experienciar (calma, meu jovem, não é sacanagem). Escrever no ANMTV deixou meu ano mais leve, conheci muitas pessoas “gente boa” nos comentários e nas redes, apesar de ter várias pessoas me xingando por ai ao longo do ano (risos).

Não tivemos muitos animes de destaque e como não sou mais um grande fã de shounen de porradaria, minhas “escolhas do ano” não terão animes que todos esperam ver numa lista de melhores do ano (como Jujutsu Kaisen). Dito isso, aqui estão meus cinco animes do ano.

Feliz ano novo e um ótimo 2022 para vocês! ^^

Studio Khara / Divulgação

  • Evangelion 3.0+1.01: Thrice Upon a Time: A tão aguardada conclusão da tetralogia Rebuild de Neon Genesis Evangelion foi sem sombra de dúvidas uma das melhores, se não a melhor, produção de 2021. O final foi colossal, emocionante e digno de Evangelion, sendo uma honra acompanhar essa franquia.

Shueisha / Studio Pierrot / Divulgação

  • Black Clover: Um anime que estreou há uns anos, mas acabou no início desse ano com 170 episódios, deixando um grande vazio em mim. Uma história simplesmente incrível que me prendeu desde o início, com ótima evolução e desenvolvimento de personagens, fazendo tantos episódios passarem tão rápido que nunca é o suficiente! Aguardo ansiosamente pelo filme e o retorno do anime!

Shueisha / CloverWorks / Divulgação

  • Shadows House: Totalmente surpreendente. Shadows House foi um anime que me interessou, mas só comecei a assistir pouco antes do último episódio. Foi tão interessante e intrigante que maratonei em poucos dias e pude assistir o último episódio no lançamento. Um dos melhores animes do ano, sem sombra de dúvidas!

Shogakukan / Mad House / Divulgação

  • The Vampire Dies in no Time: Uma comédia extremamente divertida que me conquistou já nos primeiros episódios. Tive a sensação de estar assistindo algo feito por um brasileiro por conta da quantidade de piadas, ficando ainda melhor com a majestosa dublagem em português.

Kyoto Animation / Divulgação

  • Miss Kobayashi’s Dragon Maid S: O retorno de Kobayashi e sua empregada, Tohru, em grande estilo com divertidas aventuras e novas personagens. Apesar de alguns pesares, Miss Kobayashi’s Dragon Maid S foi extremamente e incrivelmente incrível.

Kodansha / Liden Films / Divulgação

Menções Honrosas:

  • Cells at Work! Code Black: Não posso deixar de citá-lo aqui. Um spin-off de Cells at Work! que é muito melhor que o original. Merecia ter ganho uma dublagem em português, pena que ainda não ocorreu. Foi um ótimo anime de 2021!

Kadokawa / Silver Link / Studio Pallet / Divulgação

  • The World’s Finest Assassin Gets Reincarnated in Another World as a Aristocrat: Talvez muitos não o considerariam um dos melhores do ano, mas esse anime me interessou bastante e curti tanto que acabou entrando nessa minha lista como uma menção honrosa. Necessito de uma nova temporada para ontem!
Instagram: @residentmanga
Twitter: @JoaoGGBRL
E-mail: [email protected]

Lindemberg Santos

Apesar de 2021 ter sido no mínimo “estranho” em escala global, compartilho a alegria de fazer parte dessa equipe maravilhosa que é a do ANMTV. Pude assistir muita coisa legal nesse ano, me deixando surpreender sempre.

Netflix / Divulgação

  • Arcane: Sua liberdade poética ímpar e momentos de motivação me levaram a desenvolver uma atenção para o personagem Viktor, ainda mais depois de entrevistar o dublador dele aqui no Brasil.

Disney+ / Marvel Studios / Divulgação

  • Gavião Arqueiro: Tentando ao máximo acompanhar a saga MCU, dessa vez em clima de natal, Clint Barton e Kate Bishop não poderiam encontrar um pet melhor que o Lucky (Sortudo). E aquele olhinho fechado? Parece que vai atirar uma flecha. Já notaram?

Warner Bros. / Divulgação

  • Titãs: A mesma tentativa se faz presente também no Universo DC, com essa série que espalha um pedaço do Batman por toda Gotham e quase nos apresenta um Robinverso!

Netflix / Divulgação

  • Castlevania: A nostalgia gamer devidamente restaurada em mais uma temporada, inclusive na trilha sonora. O chicote estrala e a família Belmont se faz presente em mais uma batalha contra as maiores bestialidades.

Crunchyroll / Divulgação

  • Fate/Grand Order Absolut Demoniac Front: Babylonia: Vida longa ao Rei Gilgamesh, ao Mestre Fujimarue à Semi-serva Mash. A saga Fate em mais uma grande homenagem à grandes personalidades ou lendas do passado, até mesmo para a Lady Da Vinci!

Desejo um feliz 2022 a [email protected]! CUIDEM-SE! ! ! ! Que as Artes estejam ainda mais presentes na vida de vocês e vamos em busca daquilo que é nosso por mérito!

Instagram: @prof_lindemberg
Facebook: https://www.facebook.com/proflindemberg
Twitter: @leequerubim
E-mail: [email protected]

Mácio Lima

Não há dúvidas pra mim que esse ano foi de descobertas e reaprendizados, principalmente para alguém que estava afastado principalmente de livros. Vejam bem, minha última experiência com livros foram os livros da série Game of Thrones, de George R. R. Martin. Mas não será dele que falarei nesse 2021. Vamos a lista.

Disney / Lucas Film / Divulgação

  • Star Wars – Luz dos Jedi: Como havia dito em cima, essa foi a grande obra desse ano com relação a livros lidos em 2021. Uma série que tem um potencial de expansão inacreditável, com novos heróis que me deixaram com uma puta sede por essa galáxia enorme criada por George Lucas. Tanto que acabei emendando a leitura com todas as séries, filmes e também o livro Ahsoka, outra obra que de deixou muito feliz por ter escolhido essa saga em 2021.

Netflix / Divulgação

  • Arcane:Esse é praticamente unanimidade em todos os amantes de animação em 2021. Um acerto enorme da Netflix em comunhão com a Riot para expandir a lore.

Netflix / Divulgação

  • The Witcher: Dois anos de espera por uma segunda temporada. Valeu muito a pena essa espera, com uma história do nosso Geralt de Rívia mostrando um mundo muito maior que já fora apresentado. Que venha a terceira temporada.

Riot / Divulgação

  • Wild Rift: Gente, esse é influência de Arcane. Mas o jogo vale muito o tempo de quem gosta de League of Legends, mas não tem um computador para o irmão maior.

Shogakukan / OLM / Divulgação

  • Komi Can’t Communicate: Se vc quer um anime engraçado essa é uma boa escolha. Amo comédia romântica e essa é bem legal de se ver, com uma personagem linda e histórias absurdas de engraçadas. Esperando o lançamento do mangá, que chegará pela Panini.

Enfim, muitos outros nomes entrariam para essa lista pra ser sincero, inclusive o “Ascensão da Tempestade”, continuação direta de Luz dos Jedi que ainda não li por falta de verba para comprar o livro recém lançado, mas que estará com toda certeza na minha lista de livros para ler em 2022. Espero que tenham gostado da minha seleção e desejo a todos um 2022 cheio de novas e agradáveis experiências.

Instagram: @maciohelton
Facebook: https://www.facebook.com/macio.helton
Twitter: @machelton
E-mail: [email protected]

Matheus Sousa

Warner Bros. / Divulgação

  • Liga da Justiça de Zack Snyder: Por muito tempo, o sonho do corte original do diretor Zack Snyder no primeiro encontro da Liga da Justiça nas telonas não se passava disso, só um sonho. Baldes e mais baldes de água fria dos executivos da Warner em relação aquilo que “jamais veria a luz do dia” — e por muito tempo, acreditou-se que de fato, isso nunca aconteceria. Diante de tamanhas negativas e, por muitas vezes, ridicularizações, os fãs não se abalaram, não abaixaram suas cabeças, seguiram em frente, e o que um dia fora somente um sonho se tornou realidade: o Snyder Cut se tornou real, ele realmente aconteceu, e é lindo. “Às vezes é necessário dar um passo de fé primeiro, a confiança vem depois” (O Homem de Aço).

Shinshokan / Lerche / Divulgação

  • Given: Após adiar por algumas vezes, tomei a iniciativa de assistir Given pela primeira vez, e me pergunto por quê raios levei tanto tempo para ver. Se tornou um achado muito interessante para mim, mas infelizmente me trouxe de volta a lembrança dos filmes de romance onde me vi pensando: “por que na vida real não é assim?“, “eu queria viver algo assim também“. Não minto que nos primeiros episódios sentia um incômodo pelo Mafuyu e já presumia um encerramento bem mais ou menos, mas conforme a série avançava e descobrimos a verdade sobre Yuki, a vontade que me deu foi de poder dar um forte abraço em Mafuyu. De fraco e irritante para o personagem mais forte da trama. Uma história leve e muito divertida que recomendo a todos.

Hulu / Divulgação

  • Love Victor: Ninguém disse que seria fácil, sabíamos que não seria fácil. Após assumir sua homossexualidade ao final da primeira temporada, Victor precisa agora lidar com uma nova realidade, um universo completamente novo para ele, mas será que ele estará preparado para isso? Assim como Given, trata-se de uma série muito gostosa de se ver onde o tempo passa voando.

Warner Bros. / Divulgação

  • Godzilla vs Kong: Em meio à pandemia um grande lançamento nos cinemas, o confronto épico entre Godzilla e Kong. Não dava pra segurar a emoção. Com os devidos cuidados, fui assistir ao longa na maior tela que encontrei e.. que experiência. Mesmo quem já viu através dos streamings, deveria ter alguma nova chance de assisti-lo nos cinemas, pois posso garantir, a sensação é avassaladora. Efeitos especiais de tirar o fôlego e uma história mais voltada aos kaiju que aos humanos (até que enfim!). É o filme que se vê uma, duas, três vezes e não perde a emoção.

Searchlight Pictures / 20th Century Studios / Divulgação

  • Não Me Abandone Jamais (Livro/Filme): Após inúmeros adiamentos, me senti na obrigação de finalmente conhecer a obra do grande vencedor do Nobel de Literatura de 2017, Kazuo Ishiguro: Não Me Abandone Jamais. Porém, deveria ter me preparado um pouco melhor antes de iniciar a leitura. Trata-se de um romance em uma realidade inacreditável, onde você se questiona a todo momento se não existem outros meios para fazê-lo, ou se deveriam fazê-lo. São tantos os momentos onde você torce para que o inevitável não aconteça, você sabe que vai, mas você não quer acreditar, você tem esperança que não vai, que terá uma reviravolta, algo bom vai acontecer, e no final.. você está em prantos. Se for ler ou assistir ao filme, esteja preparado. (Ah, mas nem preciso dizer que a experiência de leitura é infinitamente melhor, embora o longa seja bastante competente).
Instagram: @matthedts
Twitter: @Mattheds
E-mail: [email protected]

Thiago Cardone

Studio Khara / Divulgação

  • Evangelion: 3.0+1.0 Thrice Upon a Time: Depois de mais de 20 anos finalmente temos o final da franquia com o fechamento do ciclo dos personagens, como a conclusão do dilema do protagonista Shinji Ikari de um jeito mais fácil de compreender e com a produção de altíssimo nível.

Shueisha / Ufotable / Divulgação

  • Demon Slayer – O Filme: Mugen Train: O longa ganha em melhorar bastante o arco do Trem Infinito comparado ao mangá e dá novas camadas para o protagonista Tanjiro e a participação inesquecível do hashira Rengoku.

Kodansha / Liden Films / Divulgação

  • Tokyo Revengers: Com uma proposta interessantíssima, apesar de falhas na explicação do decorrer da história, por ser uma trama mais diferenciada com gangues e viagens no tempo, o anime conseguiu prender bastante e deixar a curiosidade alta para os próximos episódios.

Kodansha / J.C Staff / Divulgação3

  • Edens Zero: Apesar do anime manter alguns vícios do mesmo autor de Fairy Tail, conseguiu entreter com uma aventura envolvente e tem um futuro promissor, demonstrando evoluções nos personagens e na trama.

Netflix / Valve / Divulgação

  • Dota: Dragon’s Blood: Deu uma boa imersão nos mundos dos games e RPGs medievais com uma boa produção e personagens interessantes.
Instagram: @thiago.cardone
E-mail: [email protected]

Williams Gomes

Cruella-3

Disney / Divulgação

  • Cruella: Arrebatando o coração dos fãs de moda e Design, Cruella, chegou na primeira parte do ano com o pé na porta e mostrou que o estúdio do Mickey aprendeu com suas obras predecessoras e soube contornar a incógnita que seria apresentar, de forma politicamente correta, a história de origem de uma de suas vilãs mais icônicas, sem que esta perca sua essência – ainda que sua maior motivação original, fosse arrancar peles de filhotes. É sem dúvida um espetáculo fashion com atuações que conseguem se encaixar muito bem na proposta caricata do filme, porém mantendo um mínimo se seriedade nos momentos de drama, com destaque para Emma Stone – a qual eu tinha todos os pés atrás desde seu anúncio para o papel e que no fim, conseguiu calar a minha boca com uma agulha de ouro.

Marvel Studios / Divulgação

  • Eternos: Eternos possui um lugar particularmente especial nesta lista, pois além de apresentar uma abordagem mais contemplativa (e de muito bom gosto) da Marvel para com suas produções, o longa da casa das ideias foi o primeiro ao qual pude assistir nos cinemas após um relaxamento das medidas de quarentena no Brasil. A direção de Chloé Zhao, o contexto mundial no qual o filme e seu público chegam aos cinemas, os sentimentos de medo e estranheza ecoando, a temática da obra e outros fatores fizeram de Eternos um marco para 2021. Se positivo ou negativo, isso fica a seu critério. Mas eu adorei.

Sony Pictures / Marvel / Divulgação

  • Homem-Aranha: Sem Volta para Casa: Não foi à toa que aloquei o teioso nessa sequência e você vai entender o porquê. A verdade é que, após a estranheza de “voltar ao mundo” e aos cinemas, a necessidade de seguir ou recomeçar a vida de uma maneira mais leve e bem-humorada surge e Homem-Aranha: Sem Volta para Casa transborda essa lacuna existente. Além de apresentar o tradicional estilo Marvel em sua direção, a obra é sem dúvida, um suprassumo do fanservice que os nerds tanto pediram. O resultado? Público ao delírio, satisfação garantida e um vislumbre de um futuro melhor que vem por aí.

Diva Depressão / Divulgação

  • Corrida Das Blogueiras: E como não seria uma lista minha sem uma quebra de padrões, a bola da vez ficou a cargo da terceira temporada do web reality Corrida das Blogueiras do canal Diva Depressão, no YouTube. Apesar de sua edição um tanto quanto problemática, o produto não só cumpre com seu papel de entreter como apresenta um crescimento de qualidade absurdo se comparado com suas temporadas antecessoras. Consideradas as limitações de produção, conhecimento técnico de equipe, um hiato devido a pandemia e as dificuldades de patrocínio, corrida das blogueiras conseguiu voltar mais forte do que nunca, com um elenco de peso e galgando seu lugar como uma grande revelação. Não me surpreenderia se em dois anos o projeto explodisse para o mundo.

Reprodução

  • Sk8 The Infinity: Claro que ainda falamos de animes nesse site e essa categoria do ano eu deixo para Sk8 the infinity, que conseguiu me cativar com seus personagens carismáticos, sua animação de qualidade e inclusive sua dublagem em português, que é simplesmente impecável. Foi impossível terminar essa temporada sem aderir ao famoso ship de Langa e Reki.

E aí, gostou da minha seleção ? então me siga nas redes sociais pra saber o que ando falando dessas e outras produções. Que o seu 2022 seja incrível, cheio de saúde, tranquilidade e dinheiro – porque não estamos mortos né.

Até a próxima !

Instagram: @thewilliamsgomes
Facebook: facebook.com/thewilliamsgomes
Twitter: @williamsgomes_
E-mail: [email protected]

O ANMTV agradece a todos que nos acompanharam ao longo de mais um ano e os convidamos a continuar conosco em 2022! Um forte abraço. Um Feliz Ano Novo!

Interaja conosco, deixe seus comentários!


*Edição sob responsabilidade de seus autores

*Supervisão geral Matheus Sousa

6 respostas para “Da Redação: nossas escolhas em 2021”

  1. Eu só fui pegar essa série do Loki pra ver essa semana q tó de folga do trampo, gostei bastante e vou dar uma olhada nas outras séries e filmes novos da Marvel q n vi ainda.

    Algumas listas me surpreenderam um pouco, pq achei q só ia ter coisa de anime e super-herói, mas teve recomendações que saíram disso.

    Será que essa hq do Sonic é muito difícil de achar? Eu nem fazia ideia q lançaram no Brasil!

  2. Diegon disse:

    Conseguram me despertar mais o interesse por diversos títulos populares que ainda não vi. Matéria mais que perfeita.

  3. MeGaNiNjA disse:

    Boas escolhas da maioria da turma é amei o fato que começaram com Kamen Rider e menções a outros tokusatsus, discordo de algumas escolhas mas gosto é gosto no final do dia

  4. Iago Gabriel disse:

    Nossa que interessante o anmtv fazendo retrospectiva de tudo que aconteceu no mundo dos filmes e séries mais os anime e jogos a e livros

    Melhor de 2021

    Filme: Liga da justiça do Zack Snyder

    Série: round 6

    anime: mushoku tensei

    Jogos: limbo uma para Android

    Livro: O Serviço de Entregas Monstruosas

  5. Vitor disse:

    Muito legal ver a quantidade significativa de produções com premissas atraentes que eu não recebi qualquer informação (no meio desse bombardeio) ao longo de 2021. Obrigado por compartilharem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.