Por que animes Boys Love são importantes e devem ser melhor produzidos

Por Matheus Sousa em

Shinshokan / Lerche / Divulgação

Apesar do que muitos podem pensar, os conhecidos animes Boy’s Love (ou yaoi, chame como preferir), ainda é um gênero de nicho dentro deste universo como um todo. Sim, existe um engajamento e pessoas que colaboram para que alguns títulos sejam propagados na comunidade otaku, mas por espontaneidade daqueles que consomem qualquer tipo de anime, são poucos. Mas considerando a falta de representação LGBTQ dentro de qualquer obra, o BL se torna um dos poucos gêneros que realmente oferece alguma representatividade.

The Night Beyond the Tricornered Window (Sankaku Mado no Sotogawa wa Yoru) lançado nesta temporada, é um título estranho dentro da categoria BL. Na maior parte das vezes, se volta mais para o horror que o BL, e se que apresenta um real romance, são apenas insinuações e um relacionamento muito sugestivo que começa como tóxico, com alguma possessão não consensual e comportamento doentio. E embora a dinâmica do relacionamento vá melhorar no futuro, a série não é necessariamente um modelo de relacionamento saudável, não trazendo qualquer representação positiva em seu conteúdo como um BL.

Shochiku / Studio Hibari / Divulgação

No ano passado tivemos uma melhor representação, com o lançamento de The Stranger by the Shore e Given: O Filme — que lançará seu OVA espelho em dezembro —, que são simplesmente produções extraordinárias, com relacionamentos saudáveis e que se mostram muito mais próximos ao público. Você assiste, e consegue se identificar, ou, colocar-se diante dos dilemas destes personagens. Mas, de modo geral, ainda faltam retratos positivos.

Como um todo, o BL está lutando com relacionamentos problemáticos, uma vez que relações não consensuais ainda se mostram predominantes dentro do gênero. Felizmente, títulos recentes começam a lidar com essas questões de maneiras auto-reflexivas, como por exemplo Tokyo in April, de Haru, lançado no ano passado, sendo uma observação excelente sobre o #metoo no Japão.

CloverWorks / Divulgação

Não só para o BL, é sabido que os estúdios de animação utilizam das vendas de mangás para decidir qual obra adaptar em anime, sendo um dos motivos pelo qual o controverso DAKAICHI -I’m being harassed by the sexiest man of the year- foi adaptado tão depressa. Mas isto poderia ser melhor observado e a mensagem transmitida em determinados projetos.

Para o ano que vem, Sasaki to Miyano se mostra um título promissor, ao melhor estilo Kimi ni Todoke onde um jovem casal constrói seu relacionamento com respeito mútuo. É tão difícil ser assim?

Obviamente existem outros títulos BL que ainda não foram adaptados em anime e que trazem boas mensagens de relacionamentos saudáveis. Quem sabe um dia, tenham tal sorte não é mesmo? Até lá, ficamos na torcida, que personagens LGBTQ sejam melhor trabalhados, representados e acima de tudo, respeitados.

*As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não remete necessariamente a posição do ANMTV. Autoria original por Xianwei Wu*
Comentários