Por que animes Boys Love são importantes e devem ser melhor produzidos

Shinshokan / Lerche / Divulgação

Apesar do que muitos podem pensar, os conhecidos animes Boy’s Love (ou yaoi, chame como preferir), ainda é um gênero de nicho dentro deste universo como um todo. Sim, existe um engajamento e pessoas que colaboram para que alguns títulos sejam propagados na comunidade otaku, mas por espontaneidade daqueles que consomem qualquer tipo de anime, são poucos. Mas considerando a falta de representação LGBTQ dentro de qualquer obra, o BL se torna um dos poucos gêneros que realmente oferece alguma representatividade.

The Night Beyond the Tricornered Window (Sankaku Mado no Sotogawa wa Yoru) lançado nesta temporada, é um título estranho dentro da categoria BL. Na maior parte das vezes, se volta mais para o horror que o BL, e se que apresenta um real romance, são apenas insinuações e um relacionamento muito sugestivo que começa como tóxico, com alguma possessão não consensual e comportamento doentio. E embora a dinâmica do relacionamento vá melhorar no futuro, a série não é necessariamente um modelo de relacionamento saudável, não trazendo qualquer representação positiva em seu conteúdo como um BL.

Shochiku / Studio Hibari / Divulgação

No ano passado tivemos uma melhor representação, com o lançamento de The Stranger by the Shore e Given: O Filme — que lançará seu OVA espelho em dezembro —, que são simplesmente produções extraordinárias, com relacionamentos saudáveis e que se mostram muito mais próximos ao público. Você assiste, e consegue se identificar, ou, colocar-se diante dos dilemas destes personagens. Mas, de modo geral, ainda faltam retratos positivos.

Como um todo, o BL está lutando com relacionamentos problemáticos, uma vez que relações não consensuais ainda se mostram predominantes dentro do gênero. Felizmente, títulos recentes começam a lidar com essas questões de maneiras auto-reflexivas, como por exemplo Tokyo in April, de Haru, lançado no ano passado, sendo uma observação excelente sobre o #metoo no Japão.

CloverWorks / Divulgação

Não só para o BL, é sabido que os estúdios de animação utilizam das vendas de mangás para decidir qual obra adaptar em anime, sendo um dos motivos pelo qual o controverso DAKAICHI -I’m being harassed by the sexiest man of the year- foi adaptado tão depressa. Mas isto poderia ser melhor observado e a mensagem transmitida em determinados projetos.

Para o ano que vem, Sasaki to Miyano se mostra um título promissor, ao melhor estilo Kimi ni Todoke onde um jovem casal constrói seu relacionamento com respeito mútuo. É tão difícil ser assim?

Obviamente existem outros títulos BL que ainda não foram adaptados em anime e que trazem boas mensagens de relacionamentos saudáveis. Quem sabe um dia, tenham tal sorte não é mesmo? Até lá, ficamos na torcida, que personagens LGBTQ sejam melhor trabalhados, representados e acima de tudo, respeitados.

*As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não remete necessariamente a posição do ANMTV. Autoria original por Xianwei Wu*

56 respostas para “Por que animes Boys Love são importantes e devem ser melhor produzidos”

  1. Eltiinho Parker disse:

    Pena que não existe anime BL dublado. E não tenho esperanças de um dia existir

    • Blu3s disse:

      Bom, recentemente um GL (girls love/yuri) recebeu dublagem, então para um desses também receber, é só pura questão de tempo.

    • 村崎葵~viola e blu disse:

      E quase que iríamos ter um (Given), se não acontecesse o que aconteceu nos bastidores da Loading.

      Enfim, parece que o contrato do canal com o Crunchy deve acabar ainda este mês, mas ainda acho muito difícil alguém recuperar essas dublagens no momento (se é que elas já tinham começado a ser feitas) senão a Band, mas também não acho que dá pra esperar muito desse canal…

    • Carmmando Alves disse:

      mercado, esta é a verdade, sem demanda não tem como produzir anime Yaoi ou BL dublados, sem demanda não tem como é o mercado $$$ muitos podem dizer que tem publico mas a verdade é que uma pequena parcela, digo uma pequena mesmo é quem paga $$$.

      • Chucky Bolado disse:

        A Netflix poderia pensar sobre isso

        • Carmmando Alves disse:

          Eu entendo até e até apoiaria, sou contra mudanças que tentam impor pensando que esta tentando incluir, se querem representatividade deem atenção a obras que é para este nicho de mercado, recentemente a netflix alterou o conteúdo que havia na dublagem, tanto no áudio original e na legenda o personagem se refere a um amigo como amigo e na dublagem colocaram amigue e acho isso que mais prejudique quem tem interesse em ver esta obra, se querem inclusão, adicionei isso a series das quais tenha o publico. Optei por assistir o anime legendado mesmo, e olha que amo e curto dublagem mas pow fazer isso em uma obra desrespeita até o trabalho do autor e mancha o longo trabalho que os nossos dubladores levaram anos para melhorar a imagem de nossa dublagem. Deveriam cobrar da Netflix dublagem de animes como Banana Fish ( tem na Amazon Prime )e é muito bom :D para min merecia uma dublagem.

          Mas infelizmente este mercado é muito pequeno, pena que animes como Maiden Rose nunca terá uma dublagem…. e olha que eu não curto o tema, eu não sou o publico, mas já vi alguns e gostei.

    • Chucky Bolado disse:

      A Loading ia mandar dublar Given pela Crunchyroll

    • Karu Nekis disse:

      given tava pra receber dublagem, mas loading morreu

  2. Rand Al Thor disse:

    Sei lá mano, a verdade é que quem assiste BL são mulheres fetichistas, então acho que 98% do texto se torna invalido por isso kkkkkk

    • King of Lies (God Mode) disse:

      Fala das Fujoshis?

      • Rand Al Thor disse:

        Elas principalmente, mas nunca vi um leitor(a) de BL que não fosse fetichista descarada

        Eu realmente acho que tenham pessoas que estão ali pela história e não para fazer artes +18 deles, só nunca vi.

        Mas foda-se também, não sou fiscal de fetiche alheio akspokasposkapokas goste do que quiser, osh.

    • Regulicio disse:

      Engraçado, seu comentário chega a ser trágico para não dizer uma tremenda falta de desinformação e achismo kkk. No caso, você está a falar de Yaois, os quais, possuem cenas sexuais, nada tão pior quanto esses ecchis e conteúdo “masculino” duvidoso cheio de pedo*****. O que de fato diferencia os BLs de outras obras é a relação criada entre dois homens, a construção amorosa em meio a um mundo heteronormativo. E outra, são romances e reviravoltas muitas vezes melhores que grandes nomes do Shoujo, por tal, tem atraído muitas mulheres. “98% do texto se torna invalido por isso”, vc tem quantos anos, 13? kkk Consigo tirar argumentos melhores de uma revista da turma da Mônica.

      • Rand Al Thor disse:

        1- Você está chamando um LGBT que frequenta grupos LGBTS de todos os tipos de adaptação de ”desinformado” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
        2- E quem aqui tá elogiando animes com [email protected]? LOL

        O fato aqui é: 98% do publico de BL são mulheres, meninas talvez, fetichistas. Isso não é desinformação, é o papo de quem vive no meio e sabe MUITO BEM do que está falando.

        Para ser honesto eu nem sei para que tanta Acidez. O outro me acusou de misoginia (?????) e agora você vem com esse papo esquisito de anime com [email protected]

        Falarei a mesma coisa que disse no outro comentário: Precisam levar a vida com mais leveza e perder um pouco dessa acidez. São muito na defensiva por nada. Eu literalmente to no meu lugar de fala no que diz respeito a animes BL, vivo, convivo e sou. E posso dizer com toda certeza que Yaois tem como base muito forte e solida as fetichistas, algo que acontece em menor intensidade nos Yuris, mas ainda acontece. E como eu também já disse: Não tem problema nenhum em ter fetiche nisso. Não sou fiscal de fetiche. Fiz um comentário leve e na brincadeira, eu realmente não sei para que essa soberba toda de vocês.

  3. Apaixonado ecchi/hentai yaoi disse:

    Eu aprovo essa matéria

  4. Maurr disse:

    Eu já queria que GL recebesse ao menos a mesma atenção que os estúdios estão tendo com BL, faz um ano que lançou os últimos animes GL sendo um Adachi to Shimamura que termina sem nada acontecer com a Adachi não conseguir se declarar pra Shimamura e Urasekai Picnic que removeram todo o lado GL que tinha na lightnovel.

  5. Carmmando Alves disse:

    não é que falta representatividade, não tenho interesse neste tipo de conteúdo, mas sei que existe e aos monte muito destas obras. Mas como é um mercado muito pequeno o numero de produção é pouca devido ao seu publico ser um pequeno nicho.

  6. Everton Luiz disse:

    Se tiver publico vai ter, o problema é que quem assiste são mulheres que gostam de chipar os casais, nunca vi nenhum gay que assiste BL.

    • Gugax disse:

      Oi, prazer! Advinha só não é pq você nunca viu que quer dizer que não exista. Achismo e olhometro não é fonte confiável pra fazer afirmação nenhuma. Público existe sim.

    • Vitor Silva disse:

      Oi sou gay e assisto BLs desde 2013, amigo n fale algo q n conhece, existe muitos gays q assiste si vc n conhece é pq vc n sai da sua bolha

    • Rand Al Thor disse:

      Não é que não exista, existe, mas também não é ”muitos” como tem gente dizendo aqui.

      A cada 10, 9 são fetichistas e 1 é um LGBT que realmente tá ali pela história. Isso é pelo meu convívio como um lgbt, e eu sei do que estou falando.

  7. Orlando Naninho disse:

    Amo vejo vários animes BLs, mas assisto mais doramas japoneses e tailandeses BLs.

  8. Caio Jota disse:

    Infelizmente, muito macho tem alergia a [email protected], não aguenta ver qualquer representação de afeto entre dois caras que já fica mega ofendido. Ai jogam como desculpa a “falta de interesse” kkkk

    • MeGaNiNjA disse:

      Muito cuidado com isso, só por que o cara não gosta, não significa que o cara não tolera ou até suporta de outras formas

    • MeGaNiNjA disse:

      Muito cuidado com isso, só por que o cara não gosta, não significa que o cara não tolera ou até suporta de outras formas

      • Caio Jota disse:

        Cara, se a pessoa não gosta ou se sente “ofendida” em ver um casal gay na ficção, é totalmente plausível presumir que a pessoa se sentiria tão ofendida quanto se fosse na vida cotidiana, correto?

    • Sr. Capone disse:

      Ninguém é obrigado a gostar dessas paradas não.

    • Rand Al Thor disse:

      Mano, ninguém é obrigado a gostar de [email protected] Eu mesmo tenho alergia a Harém, isso não quer dizer absolutamente nada.

      Esse argumento não é dos melhores kkkkk

      • Caio Jota disse:

        Cara, eu também detesto harém e essas merdas ec©hi hoje em dia. Mas se sair algum bom com esse gênero não tenho problema algum em assistir kkkk

    • Blu3s disse:

      O que as pessoas tem é que compreender que há quem goste desse tipo de conteúdo assim como quem não goste e respeitar o gosto alheio sem precisar vomitar preconceitos, não cobrar dos outros ou se obrigar a consumir e dizer que gosta só para não ser considerado “homofóbico” ou o que quer que seja. Basta isso, e todo mundo fica em paz.

      • Caio Jota disse:

        Nem tudo é questão de gosto, querido.
        Tem gente que pode adorar bagulhos como Kaifuku, que faz apologia a estūpro e coisas tão horríveis. A mesma pessoa que abomina [email protected] é o cara que idolatra lolis e anime que fazem apologia a ped©filia.

        • Blu3s disse:

          Sim, mas tem gente que simplesmente não se interessa por histórias onde romance homoafetivo masculino ou feminino é o foco, não é que necessariamente a pessoa “se ofende” ou “quer que aquilo deixe de existir porque ela não gosta”, ela às vezes só não tem preferência por esse tipo de história e tudo bem, a pessoa não é obrigada a gostar ou dizer que gosta para não ser taxada de “LGBTfóbica” em discussões.

          Já sobre o Kaifuku é aquela coisa, a partir do momento que algo existe, vai ter quem se interesse e quem não se interesse, quem ame e quem odeie, e mesmo obras que qualquer um de nós considerem um ‘lixo” vão ser especiais para alguém de alguma forma ou só atender critérios pessoais que nem todo mundo costuma deixar claro para se divertir ou entreter, e particularmente eu não consegui assistir mais de dois episódios daquela bagaça (Kaifuku) e nem me interesso por animes e mangás BL no geral, mas acho que de algum modo como sugere o artigo, esse gênero aí de BL tem lá sua importância, seu público cativo e as empresas que podem promovê-los de alguma forma não deviam ignorar essa demanda por conteúdos melhor produzidos.

      • MeGaNiNjA disse:

        Falou tudo blues, super sensata

  9. Baleio disse:

    só queria uns BL mais puxado pra anime de ação/luta. A maioria parece um shoujo com skin de homem :v

  10. Lien, o Viciado em TWST disse:

    É triste mesmo isso dos BLs problemáticos, mas fazer o que? Já que o gênero foi iniciado como escrito por mulheres e para mulheres. E pra piorar, grandes partes delas inicia da forma mais tóxica possível. Por isso que animes que são necessárias mais obras como given, onde se mostra um casal mais realista e não tem foco apenas no romance, mas na parte musical também.

    Eu acredito que não se enquadraria como BL nem mesmo GL, mas espero ansioso para que adaptem Shimanami Tasogare em anime. Acredito que foi um dos melhroes mangás que abordou a comunidade LGBT que li, além de forma saudável.

  11. Karu Nekis disse:

    esperando a dublagem de given que tinha sido prometida na loading

  12. Sr. Capone disse:

    Representatividade é o caramba jkkk faz falta não.

  13. Lisa Su ✪ disse:

    se for bom tem que produzir, assistir o banana fish achei bacana

  14. Vitor Silva disse:

    Os comentários são as coisas + tristes q eu já vi, cobertos de preconceito e achismo achando q n existe publico pra esse conteúdo q gays n assistem (gays q gostam de anime em sua maioria assistem anime BL pq ninguém é obrigado a ver um casal padrão o tempo todo e n se sentir identificado) um achismo danado um preconceito velado, é esse tipo de pessoas q adoram ver aquele [email protected] maroto no anime e ver [email protected]#tai onde filho transa com mãe ou tia ou com irmã e acha tudo lindo e maravilhoso, n é atoa q falam q comunidade otaku assim como nerd é a pura chernobyl são pessoas em sua maioria preconceituosas e q n conseguem aceitar o diferente e nada diferem de um fanatico religioso q existe por ai enfim cresçam e sla tentem sair da bolha do [email protected] q vcs vivem antes de falar merda pela boca

    • MeGaNiNjA disse:

      Como uma pessoas que não gosta nem de BL nem de echhi pela forma repetitiva dessas obras, tenho que dizer que você foi muito infeliz em associar gosto de um gênero por outro gênero
      Assim como você não é obrigado a gostar de e©chi ninguém é obrigado s gostar de BL

      A posição de alguns aqui foi estranha pra não falar pior, mas com sua associação e generalizão não fica longe da opinião dessas pessoas….

  15. Vicco disse:

    Toda temporada tem pelo menos 10 animes problemáticos que não são BL

    Problemático é você assumir que o motivo de não existir mais animes BL é por eles serem problemáticos, dá pra ver que você não assistiu muitos BLs e só tá traduzindo um artigo gringo ruim

    edit: tente pesquisar mais sobre a demográfia antes de falar sobre representatividade

  16. Brayan Ocampo disse:

    Una cosa es que se lleguen a respectar y otra es que logren gran notoriedad cosa que es imposible puesto que siendo dirigidos al gusto de una minoria social como los lgbt siempre estaran en ligados a un segundo o tercer plano

  17. Juarez Joestar disse:

    Prefiro Animes GL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.