Kadokawa planeja expansão internacional do Isekai

Kadokawa / Divulgação

Durante palestra na TIFFCOM, o executivo do conglomerado de mídia japonês Kadokawa, Takeshi Kikuchi, e o diretor geral da divisão de animação, Seiji Kiyohara, comentaram sobre a ambiciosa estratégia de expansão internacional que a empresa planeja adota. Para isso, a Kadokawa aposta no sucesso do Isekai, gênero de fantasia em que o protagonista é transportado para outro mundo e precisa lutar para sobreviver lá.

Desde 1976, a empresa investe em adaptações de obras publicadas pela editora Kadokawa Shoten. Sua estratégia de investir em diferentes formas de mídia para seus conteúdos vem dado certo domesticamente. Grande parte desse sucesso vem de light novels Isekai.

Eles identificam os títulos Re:Zero – Starting Life in Another World, Overlord, Konosuba, The Saga of Tanya the Evil e The Rising of the Shield Hero como pioneiros. Essas obras receberam lançamento original como webnovels, que posteriormente ganharam publicações físicas e adaptações em anime.

Apesar do sucesso no Japão, a Kadokawa não está satisfeita com o desempenho internacional. Kiyohara reforçou a importância da empresa trabalhar de perto com parceiros internacionais no marketing de suas obras, para garantir que elas cheguem ao máximo de pessoas. Já Kikuchi comentou sobre a mudança de estratégia onde ao invés de “vender para quem pagar mais“, a empresa passou a fechar parcerias onde pudesse continuar obtendo lucros.

Os dois trouxeram como exemplos de parcerias de sucesso os animes So I’m a Spider, So What?, que foi coproduzido com a Crunchyroll, e Combatants Will Be Disptached!, que teve envolvimento de múltiplas empresas como Funimation, GeeX+, Yen Press e BookWalker Global. Essas foram colaborações internacionais onde a Kadokawa teve a liberdade que queria.

Crescimento internacional tornou-se a principal prioridade da Kadokawa. Mesmo com a pandemia de Covid-19 e os endurecimentos da regulação chinesa, a empresa não freará suas ambições globais. Kiyohara declarou estar confiante no cumprimento da meta de lançar 40 novos animes no próximo ano fiscal.

19 respostas para “Kadokawa planeja expansão internacional do Isekai”

  1. Yellow Hair disse:

    O problema é que tá meio saturado esse gênero ainda mais se é temático de fantasia

  2. Ok disse:

    Não sei como não cansam de isekai.

    Quando era aquele romance de escola de magia também foi um saco, mas durou menos tempo que o isekai.

    • Blu3s disse:

      Se fosse pra formular uma teoria aqui agora para esse gênero ainda se manter por tanto tempo em alta naquele país, eu diria que é porque o que mais tem atualmente é japonês que não aguenta mais a própria vida que vive. De pré-adolescente otaku viciado em jogos eletrônicos a adulto que trabalha como assalariado ou que não consegue emprego e vive naquelas condições bizarras de NEET ou hikikomori, e tanto esses moleques como esses marmanjos devem ficar devaneando na maior parte do tempo como devia ser morar nos mundinhos de Dragon Quest ou genéricos desse jogo que eles tanto gostam ou gostavam de jogar, onde poderiam ser heróis pré-destinados a serem invencíveis e ainda ter um harém de mulheres que os disputem. Aí um escritor de light novels, mais ou menos esperto, resolveu aproveitar todo esse mal estar social de tantos homens e meninos para revolucionar a indústria cultural japonesa com o que é hoje o pai de todos os isekais genéricos e clichês atuais do gênero, um tal MUSHOKU TENSEI, que só agora foi redescoberto graças à adaptação em anime, e hoje o estrago está feito. Mas agora, a Kadokawa quer proliferar toda essa m#$da a níveis globais.

      • Ok disse:

        Pior que até faz sentido.

        Mas eu imaginava que eles se cansariam igual dos animes de escola de magia, mas pelo jeito vai ser dificil.

        Talvez fique igual os de comédia romantica escolar, dure para sempre.

      • Kakaroto disse:

        É bem isso mesmo, acho que vi isso que vc falou no canal do Narrativando. rsrsrs

    • Chunchunmaru. disse:

      Pelo menos se comparado com escola de magia tem bem mais isekais bons, de escola de magia bons só consigo lembrar de rakudai e mahouka no máximo, já isekais apesar de ter uns toscos aqui e ali tem vários bons e alguns incríveis como Re:Zero e Mushoku Tensei

  3. Eryk Oliveira disse:

    O que os fãs de animes querem: Mais animes Shounens

    O que a Kadokawa trás: Animes Isekai.

    Apesar de gostar, se tiver demais também a galera não vai mais suportar.

    Desses 40 animes, 39 serão isekais.

    • Blu3s disse:

      E juntando esses 39 futuros animes, não deve dar um História Sem Fim ou Alice No País das Maravilhas, que são os “avôs” do gênero.

    • Chunchunmaru. disse:

      Mas o foco da kadokawa são adaptações de light novel que em sua maioria são fantasias ou comédias românticas, se tratando de shounen quem produz mais é a Shueisha

      • Eryk Oliveira disse:

        Sim, mas reencarnação? Toda hora?

        Se eles não souberem trabalhar com isso, o pessoal vai enjoar.

        • Chunchunmaru. disse:

          Nem todos isekais são reencarnados, alguns os protagonistas só são enviados mesmo, sem falar que também tem obras de fantasia normal sem ser isekais que estão ganhando anime como no caso de Shin no Nakama dessa temporada

          • Eryk Oliveira disse:

            Da tudo na mesma.

            Se for algo como sword art online (segundo o próprio autor, sao também é isekai, então quem sou eu para questionar?) então aí sim dá para conversar.

  4. Bruno Luiz disse:

    “40 animes, sendo grande parte isekai”

    Só receita de bolo batido

  5. fundashi666 disse:

    Mais Isekai genérico vindo aí kkkkkkkkk

  6. Squall disse:

    Isekai não é gênero tão novo como pensam nos animes/magás, vide El Hazard ou Guerreiras Mágicas de Reyart (sei lá como escreve esse nome). A diferença é que antigamente os autores elaboravam os novos mundos com base em fantasia pura, aquela tirada de livros, quadrinhos e filmes, ou nem se preocupavam em criar regras pros mundos onde as histórias se passavam, o que talvez dificultasse um pouco o sucesso do gênero por serem elementos reconhecidos por um público limitado. Hoje em dia os autores simplesmente aproveitam os elementos dos MMORPGs pra facilitar a criação dos mundos, o que facilita o entendimento e a identificação com o público, já que os jogos online são um sucesso absurdo no mercado asiático, mesmo entre o público casual. Ou seja, graças aos elementos de MMORPGs o gênero isekai ganhou um alcance muito superior ao que ele tinha no passado, daí o sucesso absurdo hoje em dia.

  7. Vicio disse:

    isekai com mc dark até caia bem kkkkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.