Death Note: Editora JBC anuncia reimpressão do mangá (AT)

Shueisha / Divulgação

Aproveitando a repercussão de uma reportagem de cunho sensacionalista promovida pela RecordTV que foi ao ar no último domingo, na qual “demonizava” o anime Death Note, a Editora JBC resolveu anunciar a reimpressão dos mangás. Confira:

Conforme o anúncio foi feito, a edição que será reposta em lojas e livrarias especializadas será a versão Black Edition, que compila os 12 volumes originais no anime em uma versão 2 em 1 com 6 volumes, publicada originalmente em 2013 no formato 13,5 x 20,5 cm, com papel lux cream. Mais detalhes sobre período de reimpressão, mudanças no papel utilizado ou ajustes no preço não foram divulgados.

Death Note está disponível através da Netflix, Funimation e Crunchyroll, com opção de dublagem em português, áudio original e legendas. A controversa adaptação em live-action americana encontra-se na Netflix, como um dos produtos a levarem o selo de original da plataforma.

ATUALIZAÇÃO: Apesar do tom de anúncio exposto pela editora em sua conta oficial no twitter, o post serviu na verdade como um “reforço” de anúncios feitos nas lives JBC Bits #62 de Setembro e JBC Bits #31 de Fevereiro, onde já era comentado sobre os planos de reimpressão do mangá ainda para esse ano.

17 respostas para “Death Note: Editora JBC anuncia reimpressão do mangá (AT)”

  1. Ian Rocha disse:

    Gostaria de alertar aos usuarios do site de que essa chamada é enganosa e demonstra um pouco de amadorismo do jornalismo nerd atual que apenas copia e cola notícias. Qem acompanha a JBC em seus canais sabe que a reimpressão do mangá já havia sido anunciada há semanas e nada tem a ver com a matéria da Record. (não to dando apoio à matéria da Record também não)

  2. 村崎葵~viola e blu disse:

    Olha, apesar de todo esse deboche merecido tanto por parte das empresas legalizadas (JBC e Crunchyroll) quanto pro público em geral e analistas sérios refutando a atitude patética da emissora da Igreja Universal, muita gente ainda não tá percebendo que é muito provável que a Record fez isso justamente por causa daquela tentativa do governo em “reformar” a classificação indicativa notificada aqui mesmo no ANMTV.

    Por isso, recomendaria a algum de vocês do blog que analisasse de forma cautelosa essa matéria e vesse se dá pra relacionar com essa notícia. Pois apesar de que até seja que essa matéria sem embasamento nenhum da Record não haja muito efeito, já que muita gente internet afora reagiu de forma negativa a respeito disso, isso não foi o caso da TV aberta no geral, onde se mais se concentra gente desinformada, o que poderia ocasionar numa dificuldade bem maior para tentar difundir o Mais Geek num canal aberto que não sabemos ainda qual será, ou mesmo fazer com que a Band desista daquele projeto de canal de games que eles têm no papel…

    • Squirtle Boss disse:

      Mas o quê o governo pode fazer? Vai bloquear programação adulta nos sites antes das dez da noite?

      Duvido que meta a mão na tv por assinatura, e a tv aberta não tem nada do tipo de dia.

      • 村崎葵~viola e blu disse:

        Olha, bloquear horário na verdade ainda é de menos. Quando você perceber quem são todas as pessoas que estavam envolvidas na matéria da Record e quem são todas as pessoas envolvidas no projeto de lei, aí que a merda começa a feder mais.

    • Blu3s disse:

      Hoje foi a vez do SIKÊRA JR. tomar partido e tentar “surfar na onda” para ver talvez se consegue engajamento de otakinhos adolescentes em suas redes sociais ou dar aquela puxada de saco básica para gente ligada ao governo, que já sabemos que ele não só faz, como ganha pra isso…

      • 村崎葵~viola e blu disse:

        E dá pra perceber que ele faz isso por pauta.
        De início, ele deve ter se reparado com a matéria da Record ou recebeu fofocas de amiguinhos reacionários relacionados à quem começou isso tudo: o deputado Altair Moraes, que por “coincidência” é pastor da Universal.
        Um dia depois alguém deve ter contado ao Sikera sobre o que o anime se tratava e assim ele resolveu incorporar o Kira numa esquete, assim tentando convencer otaku desavisado de que ele só tava “brincando”.

        E aparentemente ainda tem pouquíssimas pessoas que estão sabendo a motivação disso tudo. Antes eu só achava que a Record fez aquela matéria em relação ao que a Damares propôs, mas depois de eu saber que quase todo mundo envolvido tanto naquele projeto de lei quanto o pessoal todo na matéria da Record é relacionado à Igreja Universal, agora eu tenho certeza.
        Deu pra perceber isso mais ainda quando a Record e o Sikera sequer mencionaram o projeto de lei, usando esse anime como isca pro pessoal não parar de comentar sobre o anime em si, quando deveriam comentar essa atitude questionável que está pra acontecer dentro do governo.

  3. Caio Martins disse:

    Solta aí uma nova série animada de death note para fazer a turminha da igreja universal da rede Record surtar

  4. Gabriel Arruda disse:

    E no final a matéria da Record acabou ajudando os fãs a conseguirem exemplares que não tem ou começar a colecionar.Eu tenho a coleção completa da primeira publicação.

  5. Lios disse:

    Mas a Black Edition sempre tem reimpressão de tempos em tempos.

    Acho que aproveitaram o momento para divulgação.

  6. Leonardo disse:

    Que bom, estava difícil comprar os volumes antigos

  7. Unboxing Luigi disse:

    Aproveitando o hype que esses bocós desse canal lixo e sensacionalista criaram.

  8. Squall disse:

    Esperando a Record descobrir Platinum End pra justificar uma reimpressão e me ajudar a completar a coleção ou, melhor ainda, pra justificar um relançamento de luxo tipo a Black Edition do Death Note!

  9. Fabio Santos disse:

    Para eles anime é coisa do capeta, mas baixaria na Fazenda pode. KKK!

  10. Thanos disse:

    Versão linda, tenho os 6 volumes desde que foi lançado

    vale muito a pena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.