Análise – Elden Ring: uma incrível aventura da FromSoftware

Reprodução.

Autoria: Henríque Zanardi

Elden Ring é mais um jogo estilo soulslike da desenvolvedora FromSoftware, criado por Hidetaka Miyazaki e nada mais nada menos que o escritor George R.R Martin, criador das Crônicas de Gelo e Fogo, o famoso “Game Of Thrones”.

Será que dessa vez a From conseguiu trazer algo inovador, assim como fez com o primeiro Dark Souls na época de seu lançamento? Confira isso aqui e agora, através desta review!

HISTÓRIA

É importante mencionar que assim como os demais jogos, a história de Elden Ring acaba sendo contada de forma não linear e por muitas vezes interpretativa. Tentarei focar nos tópicos principais e claro, sem revelar os pontos centrais da história.

Bandai Namco / FromSoftware / Divulgação

Começamos o jogo nas terras intermédias com seu personagem sendo um maculado, alguém sem graça. Não, não é um trocadilho. No mundo de Elden Ring existe a Grande Vontade, uma divindade que, junto com os Dois Dedos, um outro ser místico que tem literalmente dois dedos e que juntos criaram a árvore Térvore, que dá a todos que vivem nas terras intermedias a bênção de sua graça. Parte da vida era guardada na árvore e foi essa mesma quem criou os seres vivos.

Certo dia, a Grande Vontade fez com que uma criatura caísse das estrelas, se chocando contra a terra, criando assim o Anel Pristino (Elden Ring). Na lore, percebemos que existe uma mistura de elementos fantasiosos vindas até mesmo do espaço, com seres não pertencentes às terras intermédias, algo bem recorrente da empresa tendo como exemplo recente Bloodborne que aborda os mesmos temas com alguma inspiração no escritor H.P. Lovecraft.

A Marika, personagem que tinha um enorme potencial de ser tornar uma Elden Lord depois de um acontecimento, foi a responsável por destruir o Elden Ring, o estilhaçando por completo. Cada semideus, filhos de Marika com Radagon (que é a sua parte masculina) ou filhos de Radagon com Rennala, agora estão em guerra. Falar mais do que isso poderia estragar as experiências de muitos, e sei que perguntas como “quem é Marika?” ou “o que é a boa vontade?” virão após isso, o que no jogo será abordado, ainda que de maneiras interpretativas, sendo importante conversar com cada NPC, ler descrições de itens e realizar cada uma das side quests.

CRIAÇÃO DE PERSONAGENS

Uma das partes mais divertidas do jogo é a chance de poder criar seu próprio personagem, costume que os jogos da série souls preservam em suas produções (a exceção de Sekiro), então aqui, mais uma vez, é possível o jogador criar seu próprio personagem aos mínimos detalhes, inclusive os poros da pele (Pasmem!).

Bandai Namco / FromSoftware / Divulgação

Pode-se também escolher nome, tipo A ou B (masculino ou feminino), tonalidade da pele, voz, cabelo, barba, massa muscular, cor dos olhos, cabelos e etc. Mais uma vez a From permite a escolha de uma classe inicial e uma benção. A benção serve para que se possa começar o game com um certo buff no personagem montado. Cada classe vem com uma quantidade de status distribuído. A nível de exemplo, o astrólogo – vulgo mago – vem com inteligência alta, atributo exigido para quem gosta de fazer uso de magias durante a aventura. Já o samurai, contém em seu inventário a famosa uchigatana e quanto ao miserável… bem, vem sem nenhum equipamento, mas ao menos com um porrete enorme.

Caso durante a gameplay jogadores se arrependam e queiram mudar sua build e atributos, o jogo lhe dará a possibilidade. Ao decorrer de sua jornada, o jogador irá ganhar um item chamado “Lágrima Larval”, podendo ser usado para resetar seu atributo em uma NPC. Após zerar, poderá começar o famoso novo jogo +, onde os inimigos ficarão mais fortes, mas poderá começar o game com as armas que já tinha.

GAMEPLAY

Elden Ring segue a risca a fórmula soulslike sem esconder nenhum aparente segredo de ninguém: inimigos fortes, muita esquiva e elevada dificuldade, que com certeza fará os mais sensíveis à frustração espumarem de raiva enquanto desfrutam a experiência. Em Elden, há a oportunidade de equipar uma arma em cada mão tendo entre as opções uma lista que vai de facas a espadas pesadas, machados e lanças, alabardas, arcos, flechas, bestas, além de outros acessórios como cajados e escudos. Não raras vezes, jogadores podem se pegar abrindo o próprio inventário para apreciar os detalhes das armas e armaduras. Aproveitando para falar delas, assim como outros games da From, há aqui uma vasta gama de armaduras sendo uma mais bonita que a outra, fazendo a tarefa de completar um set algo plenamente satisfatório, ou melhor ainda, recebê-lo daquele boss irritante que pode levar horas para derrotar.

Bandai Namco / FromSoftware / Divulgação

Algumas das armas são usadas com empunhadura dupla, dando assim a chance de mais ataques consecutivos, porém fazendo com que a estamina do personagem seja consumida mais rapidamente, fazendo com que o controlador dependa mais das esquivas durante combates, uma vez que a defesa de uma arma de empunhadura dupla não possui eficiência de proteção 100% contra dano físico, diferente de um escudo intermediário para bom, que torna possível “tankar” o ataque de um ou mais inimigos. Caso esquiva não seja o forte do player, o recomendado é equipar um escudo junto à sua arma. Há também a possibilidade de jogar com a classe que hoje, tem sido considerado a forma de ter contato com o jogo no modo easy: o mago. Entusiastas da classe, poderão fazer usos de toda sorte de feitiços, encantamentos e magias, ainda que a experiência não se mostre tão simples como inicialmente possa parecer, uma vez que é preciso manter uma boa distância dos adversários, tarefa impossível em meio a alguns chefes que de tão agressivos em suas investidas, obrigam que o jogador desenvolva o mínimo de perícia para esquivas.

No menu de equipamentos, você tem itens de acesso rápido que podem ser utilizados apertando o botão quadrado, assim como equipar até 3 armas em cada mão conforme o padrão de jogos da desenvolvedora. Há também a chance de escolher amuletos que fornecem atributos específicos tais como a melhora de vigor (estamina), aumento de HP, força, resistência a danos físicos e mágicos e etc. podendo-se carregar até quatro amuletos. Diferente dos outros jogos, aqui é possível pular e fazer uso de ataques aéreos que acabam por ajudar bastante, de modo que não deixe de usá-los sempre que puder. Além do pulo, foi implementado também as cinzas de guerras, ataques imbuídos nas armas onde para utilizá-los, basta apertar o botão L2. Existem centenas de cinzas das guerras com ataques que podem variar entre si em tipos físicos, mágicos, elementais ou simplesmente evasivos. As cinzas podem ser obtidas de variadas maneiras, sendo as mais comuns a compra com alguns NPCs específicos ou ao matar escaravelhos espalhados pelo mapa. Vários deles podem ser achados contendo as mais diversas cores, com cada um ao ser morto deixando certos itens: vermelhos podendo fazer com que você recupere itens de cura, enquanto brancos podem fornecer ou repor cinzas de guerra.

Bandai Namco / FromSoftware / Divulgação

Esse item é indispensável na jogatina, pois é uma ajuda crucial. Detalhe: conforme PF então sempre ande com um pote de mana para recuperar seus PFs. Também existe o parry que usado no momento certo, pode quebrar a defesa de um rival e fazer com o que o mesmo seja punido por um ataque crítico e um contra golpe, ambos muito bons para quem usa o escudo. Aos novatos na série, não se preocupem, pois Elden Ring em alguns casos acaba mostrando-se um jogo bastante generoso, ainda mais na estamina. Quando seu personagem está correndo fora de combate, suas ações não usam estamina e até mesmo em combate, talvez esse atributo não dê aos players de primeira viagem muitas dores de cabeça.

Outra novidade na série é o seu amigo fiel Torrent, um cavalo que vai te tirar de inúmeras enrascadas enquanto você explora o grande mapa de Elden Ring. O bacana é pensar que o jogo foi planejado para que o cavalo seja uma ferramenta tão importante como os summons (que irei abordar mais tarde) ou até mais, visto que vai ser o Torrent que além de te livrar dos mais variados perigos com seus pulos duplos, permitirá que enquanto o seu personagem ao estar montado nele, fique com uma resistência um pouco maior a quedas, isso sem falar na existência de talismãs no jogo que deixam ataques em cima do Torrent mais fortes; o que também faz contribuir essa tese da importância do corcel é que alguns chefes enfrentados em cima da montaria aparentam ter sua curva de dificuldade reduzida pela metade, seja pelo aumento e facilidade de mobilidade ou pela maior precisão de alguns ataques. (Torrent possui uma pequena barra de vida que também é recarregada ao tomarmos o elixir de cura. Caso a barra acabe, será necessário gastar um elixir inteiro para que o mesmo “reviva”.)

Bandai Namco / FromSoftware / Divulgação

Agora, sobre o summons: estas são talvez a melhor mecânica implementada no jogo. Eles ajudam e bastante durante a experiência, é possível achar diversos summons para poder invocá-los em momentos ou áreas específicas, como confrontos com bosses. Sempre que puder, chame-os, pois, além de ajudarem, também servem como distração do boss, permitindo que você os ataque pelas costas. Summons gastam pontos de PF e para cada um deles tem uma quantidade especifica que irá consumir seu PF e podem ser encontrados em algumas cavernas ou catacumbas espalhadas pelo mapa. Ao vencer os chefes, você é capaz de conseguir equipamentos que vão desde um set completo de armadura até armas ou magias. Para isso, além de vence-los, será necessário ir para a mesa redonda, onde um NPC irá trocar a lembrança do boss por um equipamento ou magia.

Caso você se arrependa ou queira até mesmo ter os dois prêmios das chefes, você encontrará uma enorme criatura feita de pedra andando pelo mapa, chamados de mausoléus. Basta derrotá-los para que possa ser feita a duplicação da lembrança do boss e assim acessar o outro item desejado. Ah! A “moeda” do jogo são as runas, basicamente um sistema de experiência obtido ao derrotar inimigos. Quanto mais runas, mais sua chance de aumentar level. Com as runas além do aumento de level pode-se comprar itens, forjar armas, materiais e afins. Se estiver com muitas runas, sempre dê preferência a gastá-las, pois se morrer pela segunda vez sem conseguir recuperá-las pode dar adeus a elas.

Entenda, Elden Ring a todo momento te induz a upar o personagem feito pelo jogador para encarar a aventura. Assim que ela é iniciada, em Lingrave, o jogador depara-se com um boss que já em seu nível inicial, pode fazer com que o jogador ache que precisa ou ser um pro player ou tentar por um sem número de vezes até consegui vencê-lo. Caso sinta muita dificuldade em algum boss ou em algum mapa do jogo, é recomendado upar. Volte um pouco, forje suas armas, revise seu set e lembre-se que irão haver momentos em que passará bastante raiva mas imagine que as coisas ficarão mais tranquilas caso esteja em um level considerável. O jogo também fornece um PVP clássico, sendo possível invadir o mundo de outro jogador para desafia-los. A experiência é bastante divertido e a conexão não costuma demorar muito, sendo essa uma mecânica que ajudará bastante a fazer o jogo ter uma vida extra, especialmente para quem estiver travado em alguma parte. Vale lembrar que é possível também chamar um amigo para lhe ajudar, ficando assim a dica!

PROBLEMAS E POLÊMICAS

O jogo tem sido muito bem avaliado e com razão, pois aparece como mais um dos destaques da FromSoftware tal qual o primeiro Dark Souls, que popularizou jogos desafiadores. Aqui, a empresa dá uma aula de como fazer um jogo de mundo aberto satisfatório, ainda que isso tenha causado alguns problemas, com direito a empresas conhecidas reclamando do sucesso de Elden Ring, uma verdadeira ironia, visto o quanto o jogo inovou no sistema de mundo aberto.

Bandai Namco / FromSoftware / Divulgação

Outro problema, que inclusive prejudicou jogadores brasileiros, é que durante o lançamento o jogo veio com as descrições dos itens capados. Por que isso seria um problema? Bem, para quem conhece o estilo narrativo da desenvolvedora sabe que os jogos da série souls não tem o habito de entregar a lore com cutscenes e sim, através de textos, e é justamente nas descrições dos itens que jogadores tem acesso a uma grande expansão da história. Depois de algumas reclamações, a Bandai Brasil se pronunciou e liberou um pack de atualização que dá acesso a todas as informações de itens.

Foi notado também que muitas das cavernas e masmorras no mapa são repetitivas, algumas exatamente iguais a outras do começo do game, incluindo até mesmo os mesmos chefes. A nível de exemplo, há um chefe gato/cachorro o qual enfrenta-se variações deles em ao menos quatro ou cinco dungeons diferentes. Talvez o intuito da empresa era fazer você batalhar de novo com alguns chefes que até são interessantes, mas sem o mesmo êxito que tiveram em Sekiro sem também maiores explicação e apenas trocando seus respectivos nomes.

Bandai Namco / FromSoftware / Divulgação

Ainda sobre atualizações, a 1.03.02 deu o que falar pois nela “secretamente” a empresa acabou mudando a inteligência artificial de um boss que até então estava “impossível” de se derrotar. Isso gerou um certo burburinho na comunidade pois a ideia do tal boss em especifico era ser o mais árduo desafio a se vencer em meio ao contexto de batalha, fazendo com que agora acabasse virando apenas um mero boss genérico e sem qualquer peso. Foi uma tremenda “sorte” para este que vos escreve poder enfrentá-lo em seu auge, sofrendo, morrendo, upando, e por fim conseguindo superá-lo, fazendo a vitória satisfatória como nenhuma outra, algo que pode ser totalmente diferente com o mesmo inimigo nerfado.

No último dia 4, houve mais uma nova atualização. Desta vez, foi informado que o nerf que o boss sofreu, na verdade tratava-se de um bug que fazia com que o mesmo estivesse com o debuf, dando a entender que agora tudo já estaria resolvido. Tem se tornado uma prática comum a From lançar novas atualizações que corrigem bugs, mas também é um fato de que ao que parece algumas sides, como as do mapa Jarrosburgo não pareciam estar prontas no lançamento do jogo, tanto que essa side só apareceu depois do lançamento em uma atualização gratuita. Teria Elden sido lançado de forma incompleta? Acredita-se que não, pois o jogo é tão vasto que existem milhões de coisas para se fazer apesar de tal fato curioso.

Tirando tais casos, probleminhas relacionados a quedas de quadro foram percebidos, principalmente quando estava com a presença de alguns summons em tela e muitos inimigos. Travar a mira em alguns inimigos durante o jogo também era um grande incômodo, visto que às vezes o jogo dá a preferência em lockar em inimigos mais distantes do próximos, de forma que quando o inimigo voa ou é gigante, a câmera simplesmente pira. (Casos que já ocorreram em outros jogos da própria From). Porém, isso não tira o brilho de Elden Ring, que revelou-se como uma grande surpresa a novos jogadores e que também agrada a veteranos, uma produção simplesmente perfeita!

Elden Ring está disponível para Playstation 4, Playstation 5, Xbox One, Xbox Series s e PC.

*As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não remete necessariamente a posição do ANMTV*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.