Platinum End: O Battle Royale dos criadores de Death Note começou! (Episódio 1)

Por João Gabriel em

ANMTV / Divulgação

Este texto contém spoilers!

Um dos maiores hypes da Temporada de Outono 2021 finalmente estreou nesta quinta-feira (7). Estou falando de ninguém mais, ninguém menos que Platinum End, dos mesmos criadores de Death Note e Bakuman.

Com produção do estúdio Signal. MD, acompanhamos o jovem Mirai Kakehashi, que após a morte de sua família foi destinado a ter uma terrível vida de puro sofrimento. Sendo espancado diariamente pelos seus tios e forçado a trabalhar como um escravo, ele decide tirar a própria vida no dia de sua formatura no colégio. Ao pular de um prédio um anjo o resgata e lhe concede a “liberdade” e o “amor” para uma vida de felicidade. Infelizmente ao ser acolhido pelo anjo, se tornou um candidato a deus, devendo competir pela vitória durante 999 dias contra 13 candidatos para decidir quem será o primeiro sucessor divino. Nesta análise, discutimos se o que foi entregue correspondeu a todo este “hype”.

Apenas pelo pequeno (ou grande) fato de ser dos mesmos criadores de Death Note e Bakuman, Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, a pressão e expectativa que Platinum End sofre é imensa e esmagadora.

O protagonista com o poder da “liberdade” — as asas de um anjo —, do “amor” — a flecha vermelha capaz de fazer qualquer um se apaixonar por você, — e da “morte” — a flecha da eutanásia, Mirai competirá pelo cargo de deus.

Após uma rápida explicação de Nasse sobre suas novas habilidades, que corta algumas informações do mangá, Mirai utiliza de seus poderes da “liberdade” para viajar pelo mundo e poder, finalmente, ser livre.

Shueisha / Signal. MD / Divulgação

Infelizmente ele não pode ser feliz por muito tempo. Mirai descobre através de Nasse que seus tios assassinaram seus pais para ficar com a herança e lhe adotaram para ficar com o seguro de vida. Usando a flecha vermelha, ele confronta sua tia que, ao se apaixonar por ele, acaba se matando devido a tanta culpa que estava sentindo naquele momento.

Ao ver sua tia morta, ele percebe que está vivo e não quer morrer. Ele não poderia ser feliz se estivesse morto, então deveria continuar vivendo. Sua missão era: “viver e ser feliz”. Já temos a moral da história, logo em seu primeiro episódio. Bastante filosófico, né?

Shueisha / Signal. MD / Divulgação

A história é muito boa, de verdade. Eu gostei bastante e admito que fiquei empolgado pelo episódio seguinte, mas a adaptação tem seus defeitos. Tais problemas são perceptíveis apenas para quem leu o mangá.

O anime altera algumas coisas aqui e ali, normalmente nada de tão “gritante”. Infelizmente, a personalidade de Mirai foi bastante afetada nessas “pequenas” mudanças. Na obra original, nosso protagonista possui um olhar frio e triste. Era de se esperar considerando o quanto já sofreu. Já na adaptação animada, a expressão dele não é bem assim, pois suas reações oscilam constantemente, algo que não acontece no mangá.

Shueisha / Signal. MD / Divulgação

No anime, ele também demonstra ter uma grande insegurança durante o confronto com sua tia, enquanto que no mangá aparenta ter uma grande determinação. Assim como no final do episódio, onde cortam um pesadelo que demonstra o quão perturbado ele ficou com a morte de sua ente querida, mostrando que ele se sente culpado. Parece bobagem, mas essas modificações divergem de sua essência.

De resto, estava ótimo. A animação não é nada de grandioso, mas é muito boa. A trilha sonora também não deixa muito a desejar, inclusive o tema de abertura, que não tenho reclamações. Escuta aqui:

O 1° episódio de Platinum End foi muito bom no geral. Quem leu o mangá, como eu, pode estranhar alguns acontecimentos que foram cortados ou mesclados para acelerar a história, já quem conheceu ou irá conhecer pelo anime vai curtir bastante (eu espero).

No próximo capítulo, aparentemente, teremos a aparição do antagonista da história, Metropoliman, e novos candidatos a deus. O battle royale dos criadores de Death Note está apenas começando. Também espero que não cortem muita coisa dessa vez. Ansioso para assistir.

Platinum End está disponível em transmissão simultânea no catálogo da Crunchyroll e Funimation, com opção de áudio original com legendas em português. Para quem tiver interesse, o mangá é publicado pela editora JBC.

Nota do episódio: 8/10

*As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não remete necessariamente a posição do ANMTV*
Comentários