Lightyear: Disney volta atrás e permitirá afeto LGBTQIA+ no filme

Disney/ Pixar/ Divulgação

Segundo a Variety, a Disney decidiu recolocar uma cena de beijo lésbico em sua próxima produção: Lightyear.

O estúdio havia vetado a troca de afeto entre as personagens, contudo, após as acusações de financiar deputados conservadores e depois dos funcionários da Pixar enviarem uma carta aberta ao estúdio do Mickey criticando o posicionamento da empresa quanto aos personagens LGBTQIA+, a direção da Disney voltou atrás e permitiu a cena em questão.

De acordo com a publicação, o beijo será entre a personagem Hawthorne e sua namorada. Hawthorne se torna, então, a segunda personagem abertamente pertencente à comunidade LGBTQIA+ num filme da Pixar, sendo a primeira Specter em Dois Irmãos: Uma Aventura Inesquecível.

Lightyear trará Chris Evans no papel principal e foi dirigido por Angus MacLane, conhecido por seus trabalhos em Procurando Dory e em curtas da franquia Toy Story.

Lightyear chega aos cinemas em 17 de junho.

30 respostas para “Lightyear: Disney volta atrás e permitirá afeto LGBTQIA+ no filme”

  1. jon disse:

    Todos se joelhando ao progressismo.

  2. Samuel Alves disse:

    Tem algum problema uma empresa privada como a Disney financiar quem ela quiser?

    • Gabriel disse:

      Mas é claro que tem.  Primeiro que lobby é uma merda. Os políticos ao invés de trabalharem em prol de quem os elegeu, priorizam interesses de grandes corporações, mudam leis e dão benefícios fiscais para favorecê-las etc. A Disney é uma empresa de capital aberto, então deve satisfação aos acionistas sobre seus investimentos. A Disney tem um significatico número de funcionários LGBTQIA+ e tem conteúdos e produtos com apelo ao público da comunidade. Então é absurdo que a empresa lucre com funcionários e consumidores LGBT, mas financie políticos que apoiam projetos para prejudicar essas pessoas.

      • Samuel Alves disse:

        Não conheço esses políticos em questão, mas como Ancap eu entendo que o Estado em si é desnecessário, mas que um cara conservador pode sim se importar com a comunidade LGBT+, existe muita falácia nessa história de esquerda e direita…

  3. son disse:

    Legal, perdi meu interesse pelo filme

  4. Anubis_Necromancer disse:

    Bolso apertou xD

    • MeGaNiNjA disse:

      vamo ver se o bolso apertar mesmo quando o filme ser rejeitado ou censurado na China e outros paises

      • Rock Marciano disse:

        E acredito que eles vão censurar nas versões mandadas pra lá, assim como fazem com a capa dos filmes que na versão chinesa editam retirando os personagens negros.

      • Anubis_Necromancer disse:

        Uma cena que pode ser cortada na edição quando for passar lá, né?

        • MeGaNiNjA disse:

          sim mas ai tem o que eu havia falado meses atras

          se cortar a galera do studio vai cair em cima, se não cortar os acionistas que vão cair em cima porque perdeu lucro em certo pais

          • Anubis_Necromancer disse:

            Cortar uma cena num país liberal como EUA é errado.
            Cortar num país conservador não é.

            Afinal, a pessoa no liberal vai ter a cena, difernete de um cosnervador.
            Agora seria ruim se fosse cortada no liberal, né?

          • MeGaNiNjA disse:

            Ai não depende de mim, depende da opinião das mesmas pessoas que protestaram por isso
            vão querer que o filme seja exibido com tão censura? a produtora vai se arriscar a não ter exibição em um pais que lhes dão muito dinhero?

          • Anubis_Necromancer disse:

            Refaça pq não entendi bulhufas

  5. MeGaNiNjA disse:

    certeza que essa cena será censurada para poder o filme ser aprovado em alguns certos países
    Mas, ainda me doi que não quiseram seguir com os personagens da animação dos anos 2000 pra colocar novos personagens só porque não são progressistas

  6. Haiji disse:

    Já não era hora!
    Vários criadores de séries da Disney (Owl House, Gravity Falls…) já tinham falado sobre as dificuldades que tiveram nesse aspecto, é bom ver que o povo do cinema se mexeu também

  7. Lien, o Viciado em TWST disse:

    Como se isso fosse mudar a ficha suja né

  8. Vitor disse:

    Vi essa notícia primeiro no Instagram
    E um monte de gente comentando que não tem necessidade de colocar isso num filme infantil, que não vão mais levar os filhos…
    Claro, pq uma cena de um príncipe beijando uma garota “morta” e menor de idade no primeiro filme infantil do estúdio, é normal, né?
    Mais quantas décadas vão levar pro povo normalizar as relações LGBT e parar de fazer disso um mega evento?

  9. Tori disse:

    O mundo de hoje é uma corda bamba
    Disney é uma empresa gananciosa assim como qualquer outra (Olá Tencent!), e sempre tem duas opções a mesa quando é questão de ganhar dinheiro:
    Abraçar o LGBT+ e tratar como uma coisa normal, porém, perdendo o público chinês e um rio de dinheiro com isso

    Ou

    Ocultar a visibilidade LGBT+, ter o filme em cartaz na China, porém, sendo atacada pelo ocidente.

    Ou

    Um pequeno marketing de visibilidade LGBT+, mas irá alterar o filme quando entrar no oriente.

    Já sabem quais opções Disney escolheu.

  10. Pedro Nobrega disse:

    Eu realmente não me importo com isso, mas tds sabemos que a Disney censurava pq a maioria esmagadora do público, que é de pais/avós que levam os filhos pro cinemas não toleram isso então eles não abririam mão dessa grana toda. Vamo ver como vai ser a bilheteria do filme qnd a notícia chegar nos véio

  11. David disse:

    Façam um teste, e mostrem a cena em trailers, só pra gente descobrir uma coisa…
    Tenham coragem de expor isso antes do público medio assistir (gente que não acompanha esse tipo de notícia). Vamos lá Disney!

  12. Ikki Kurogane disse:

    Eu já consigo sentir o mimimi reacionário/religioso quando o filme estrear com essa cena

  13. NintenBoy disse:

    O estúdios americanos são uma mera lembrança do que já foram. Os executivos tem culpa por quererem algo mais comercial e desinteressante, e os próprios desenvolvedores pela decadência de formação profissional tanto pelo desempenho quanto pelas prioridades como colocar ativismo em primeiro lugar na hora de criar algo. Não sai nada natural. Animes que nem são [email protected] ou [email protected] dão uma surra monumental no ocidente quando o assunto apresentar personagens lgbt. O objetivo deveria ser mostrar personagens reais em situações reais sem dar aula nos outros, o que é muito raro. Sem não bastasse isso, antes mesmo de lançar um filme, o marketing dele gasta sua maior parte falando que vc tem que assistir pq tem alguém lgbt. E mesmo quando não tem marketing, os próprios devs passam muito tempo nas mídias sociais promovendo os filmes baseado só nisso. Imagina ter que fazer isso pra cada personagem hétero, e reforçar que ele é hétero e vai tá no filme, a chatice que seria. É dose.

    • son disse:

      Esse comentário resume bem a situação atual não só dos estúdios, mas da sociedade de uma forma geral (principalmente quando o assunto é entretenimento)

  14. Leonardo disse:

    Finalmente o king strife vai se sentir representado

  15. Mitchel disse:

    Sendo ou não marketing, e mesmo sendo uma mera tentativa da Disney se retratar, é bom ver os homofóbicos surtando. Engraçado que nunca se incomodaram com piadas de duplo sentido, ou com beijo na boca entre homem e mulher num filme pra criança, mas quando é casal LGBT aí chamam até de abuso infantil. Pois trago novidades para os homofóbicos, os tempos mudaram. E casais LGBT serão cada vez mais inseridos em filmes e séries. E não é pra lacrar, não. É porque eles existem! E principalmente porque não vivemos mais na década de 90 onde eles não estavam na TV e no cinema, simplesmente pelo fato de viverem no armário e todos tentarem escondê-los.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.