Exclusivo – Me Apaixonei pela Vilã!: uma mensagem de agradecimento, por Inori

Por João Gabriel em

GL Bunko / Divulgação

Com o recente lançamento do 1° volume da light novel Me Apaixonei pela Vilã! (I’m in Love with the Vilainess) pela editora NewPOP no Brasil, Inori, autora da obra, enviou uma entusiasmada mensagem ao ANMTV agradecendo seus fãs brasileiros e contando mais sobre a origem dessa história que está atraindo cada vez mais fãs ao redor do mundo. Leia:


I’m in Love with the Vilainess (Me Apaixonei pela Vilã!) foi lançado em 29 de setembro no Brasil. Estou muito feliz em ouvir que tantas pessoas estão comprando-o ao ponto do estoque da Amazon estar se esgotando rapidamente. Eu gostaria de mandar uma mensagem especial para todos os fãs de ILTV no Brasil. Se você tiver tempo e interesse, ficaria feliz se pudesse ler essa mensagem.

Antes, vou falar um pouco sobre o processo criativo escrevendo I’m in Love with the Vilainess. Minha parceira, Aki-san, e eu, frequentemente, jogamos um jogo onde mandamos curtas histórias uma para a outra. Nós acabamos nos conhecendo através de um jogo on-line de TTRPG (Table Top Role-Playing Game) e passamos a escrever e enviar curtas histórias protagonizando nossos personagens do TTRPG ou estrelando um crossover com personagens de outras histórias que já havíamos escrito. A ideia para ILTV surgiu de uma dessas histórias: “O que aconteceria se eu escrevesse uma novel com uma personagem baseado na Aki-san como o protagonista?”. A princípio era apenas por diversão, mas quando mostrei a história finalizada para a Aki-san, ela disse: “Isso é interessante e eu quero ler mais disso”. Isso me deixou feliz e, assim, comecei a escrever mais.

GL Bunko / Divulgação

Eu a reconfigurei para uma história maior e publiquei na “Shōsetsuka ni Narō”, um site japonês para publicação de novels. A pontuação da obra não era tão alta, mas eu gostava de escrever sobre a personagem principal, Rei, então continuei escrevendo sem me preocupar com a pontuação. O processo para transformá-lo em um livro foi um pouco diferente de outros trabalhos publicados no “Shōsetsuka ni Narō”. Um dia descobri que uma editora chamada GL Bunko estava aceitando manuscritos de novels yuri (Girl’s Love), então decidi me candidatar enviando os três primeiros capítulos de ILTV. Não recebi nenhuma resposta após alguns meses do envio, então acabei desistindo na metade do caminho. Até que, finalmente, recebi uma resposta quando já tinha até me esquecido. A mensagem dizia que eles queriam publicar ILTV. Essa é a história de como comecei a escrever I’m in Love with the Vilainess (Me Apaixonei pela Vilã!) e como começou a ser publicado pela GL Bunko.

Eu fiquei muito feliz quando começou a ser publicada. Não é sempre que você consegue experienciar seu trabalho sendo reconhecido comercialmente, mas no início não senti de fato essa sensação. Me sentia apenas como se estivesse num sonho imaginando se realmente seria publicado. Foi apenas quando recebi um rascunho das ilustrações desenhadas por Hanagata-sensei que tomei conhecimento que tudo o que estava acontecendo era real. No momento em que vi, pensei: “Essas são Rei e Claire!”. Eu tinha uma vaga imagem delas em minha mente, mas acho que as ilustrações de Hanagata-sensei lhes deram uma forma mais clara. Ao mesmo tempo pensei, novamente: “Oh, vai ser realmente publicado”.

Desde que começou a ser publicado como um e-book [no Japão], não vou para a livraria no dia do lançamento. Passo o dia em casa observando os rankings do Amazon Kindle me sentindo feliz e triste ao mesmo tempo. Obviamente, Aki-san e eu celebramos brindando coquetéis sem álcool.

GL Bunko / Divulgação

Eu acho que o começo do suporte dos leitores fora do Japão de ILTV começou com duas traduções de fãs. Uma era a tradução de “Jingle” em inglês, enquanto a outra era a tradução de “Watao City” em coreano. A tradução em inglês acabou gerando traduções em várias línguas e, posteriormente, também ganhou uma base devota de fãs nos países vizinhos ao Japão. Eu acho que, provavelmente, foi a tradução em inglês que influenciou a versão em português, mas conforme eu interagia com brasileiros no twitter usando usando ferramentas de tradução comecei a receber mensagens graciosas de pessoas que queriam ler ILTV no Brasil. A voz calorosa dessas pessoas fez com que a NewPOP publicasse esse livro.

O primeiro passo para traduzir ILTV em qualquer país é o apoio entusiasmado dos fãs. Estou orgulhosa de poder ter escrito uma obra que pessoas de todo o mundo querem ler. Também estou muito grata pela paixão e dedicação dos leitores fora do Japão.

GL Bunko / Divulgação

Não tenho muitas histórias para contar sobre mim mesma, mas minha sexualidade foi uma grande influência para escrever ILTV. A obra cobre uma abrangente quantidade de tópicos, mas eu me foquei sobre os problemas encarados pelas minorias sexuais. Como uma light novel é, majoritariamente, entretenimento e não um artigo ou minha opinião pessoal, me arrependi de ter ido um pouco longe nesse assunto, mas, julgando pela reação dos leitores, fico feliz que o fiz.

Eu não vou ousar dizer a qual minoria sexual eu pertenço. Também não estou escondendo e alguns de meus leitores já sabem, contudo, não quero que meus trabalhos sejam julgados pela visão de “essa autora é esse tipo de pessoa”, então tento não expor muito sobre a minha pessoa.

Por outro lado, estou dando o meu melhor para me comunicar com meus leitores. Mesmo que não esteja hábil de fazê-lo no momento devido a motivos pessoais, eu costumo me comunicar com meus leitores através de lives no YouTube usando minha avatar. Além do japonês, só consigo falar um pouco de inglês, mas todos me acolhem calorosamente e eu gosto de conversar com meus leitores diariamente. Se você tiver a oportunidade, por favor, venha me visitar em minhas lives.

GL Bunko / Divulgação

Felizmente, ILTV é lido por minorias sexuais também e eu recebo o feedback de várias pessoas envolvidas. A realidade das minorias sexuais nem sempre funciona como nas novels e, algumas vezes, decisões tem que ser feitas. Contudo, assim como Claire eventualmente reconhece isso como um problema no livro, eu não quero “fugir de ideais para a realidade” (frase dita por Claire em volumes posteriores de Me Apaixonei pela Vilã!).

Eu acho que nós precisamos fazer progresso lentamente, passo a passo, em busca de um mundo onde todos possam viver como si mesmos. 

Para os meus fãs no Brasil

Primeiramente, gostaria de agradecer ao ANMTV por me conceder a oportunidade de escrever essa mensagem. O ANMTV dedicou bastante tempo para realizar uma entrevista bastante detalhada comigo outro dia. Se você ainda não a viu, por favor, leia.

E, claro, muito obrigada a você que está lendo também. Se você chegou até aqui, já deve ter comprado “Me Apaixonei pela Vilã!” ou está, no mínimo, interessado. Se você já comprou, muito obrigada. Graças ao seu carinhoso apoio, essa tradução e edição em português foi possível. Se ainda não comprou, peço que dê uma chance e leia-o. Fui um pouco formal dessa vez, mas a história do primeiro volume é o equivalente a uma comédia romântica. Espero que você goste da ultrajante Rei e, também, da Claire, a vilã que acaba sendo atraída por Rei.

Se várias pessoas comprarem, tenho certeza que a NewPOP irá publicar o 2° volume. A edição seguinte é a mais bem avaliada em todos os países, então gostaria que o máximo de pessoas possível comprassem o 1° volume para que todos possam ler o próximo. Se você já leu e gostou, peço que recomende aos seus amigos e conhecidos nas redes sociais. Eu ficaria muito feliz se o máximo de leitores pudessem apreciar meu trabalho.

Muito obrigada por ler até o fim. Até mais ~ Inori.

Yurihime / Divulgação

Agrademos, de coração, a calorosa mensagem enviada por Inori ao ANMTV e a todos os seus fãs brasileiros. Me Apaixonei pela Vilã! é completo em 5 volumes, sendo que o 1° volume já está disponível para compra no site oficial da editora NewPOP, Amazon e em diversas livrarias e lojas especializadas. Também leia nossa entrevista aqui.

Comentários