Disney+: plataforma deve se tornar a 2ª maior do Brasil

Por Gabriel Fernandes em

Disney / Divulgação

Faltando poucas semanas para o lançamento do Disney+ no Brasil, o Estadão conversou com consultores e analistas sobre os impactos da chegada da plataforma, que eles apontaram que deve se tornar o segundo maior serviço de streaming no país, ficando atrás apenas da Netflix.

Um dos trunfos da Disney é o conteúdo da empresa. A marca é conhecida e valorizada no país, e a estratégia de tirar sua programação de outras formas de distribuição como Home Video e TV por assinatura, deve dar resultados. O presidente da Disney para a América Latina já confirmou o interesse em produzir conteúdo local, mas para a CEO do grupo Stenna, Carolina Vargas, ainda que a Disney não dependa do Fundo Setorial do Audiovisual para produzir conteúdo, a paralisação do audiovisual nacional devido ao congelamento de verbas da Ancine deve atrasar conteúdo nacional do Disney+ em pelo menos dois anos.

A consultora Patrícia Weiss ressalta que “tecnologicamente, o Brasil é um dos países que mais tem aderência ao consumo de conteúdo” e que a variedade de streaming deve ser bem recebida por aqui por ser mais barato que a TV Paga, mesmo acumulando diferentes assinaturas. Já Vargas demonstra preocupação com a entrega do produto final pelo grande fluxo de internet que é exigido, e os conflitos entre os provedores regionais e as plataformas que podem surgir diante disso.

Sobre o preço, Weiss elogia a intenção anunciada pela empresa de cobrar na faixa do valor básico do mercado. Já Vargas apontou para uma possível falta de fidelização no Brasil, ao contrário do que acontece em outros países, como os americanos que adotam planos anuais. Segundo ela, é possível que os clientes peguem um mês de um grande lançamento, assistam e depois cancelem.

Já a respeito do catálogo, para Weiss o foco no conteúdo para família deverá ser um golpe para a TV paga, enquanto Vargas comenta sobre a vantagem que isso dará a Netflix por possuir um conteúdo mais variado e atualizado com mais frequência. “Nesse sentido, acredito que entre ter algo específico para a criança e algo que possa atingir toda a família, o consumidor prefere pagar os R$ 21,90 para atingir toda a família.”, declarou ela.

O Disney+ chega ao Brasil em 17 de novembro.

Comentários