Chefe da WarnerMedia defende lançar filmes no HBO Max

Por Gabriel Fernandes em

Warner Bros. / Divulgação

Após a WarnerMedia anunciar que lançaria todos os filmes da Warner Bros. programados para 2021 nos cinemas e HBO Max sem custo adicional, muitos nomes de Hollywood criticaram a decisão, incluindo os diretores Denis Villeneuve (Duna) e Christopher Nolan (Tenet). Em entrevista ao The New York Times, o executivo-chefe da WarnerMedia, Jason Kilar, comentou sobre essas críticas, que ele classificou como “dolorosas”.

Kilar começou dizendo que as vezes na vida é preciso ignorar alguns ruídos e que toda inovação é alvo de críticas, sendo reações esperadas, mas muito dolorosas. “Nós claramente temos trabalho a fazer enquanto navegamos nessa pandemia e tentamos encontrar um futuro em meio a isso. Não há nenhuma situação em que todos vão se levantar e aplaudir. Não é assim que a inovação funciona. Isso não é algo fácil, e nem esperávamos que fosse. Quando você está tentando algo novo, tem que estar pronto para pessoas que não estão confortáveis com a mudança, e tudo bem.” 

Parte das críticas, como a de algumas agências de talentos, vieram do fato que a decisão não foi negociada com os envolvidos, com exceção de Mulher-Maravilha 1984, o primeiro a ser anunciado nesse modelo de estreia simultânea, onde a diretora Patty Jenkins e a protagonista Gal Gadot fecharam um acordo de US$ 10 milhões. Sobre isso, Kilar respondeu: “Há algumas coisas que você pode conversar e conversar, mas que não necessariamente muda a decisão final. Não acho que tomar essa decisão seria possível se ficássemos meses e meses em conversas com cada envolvido. Em certo momento, você precisa liderar. E liderar pensando no consumidor em primeiro lugar, priorizando o público em qualquer decisão.”

O HBO Max chegará a América Latina em 2021.

Comentários