ANMTV Entrevista: Kanata Yanagino, autor de The Faraway Paladin

Por João Gabriel em

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

O ANMTV teve a imensa oportunidade de entrevistar o autor de The Faraway Paladin, obra de sucesso com um anime atualmente em exibição no Brasil através da Crunchyroll: Kanata Yanagino.

Durante a entrevista, ele comenta sobre como se tornou um escritor, seus hobbies até a explosão de popularidade da história no Japão e no mundo e todo o processo de produção do anime. Leia:


ANMTV: Olá, Yanagino-san! Poderia se apresentar para aqueles que ainda não o conhecem?

Yanagino: Olá a todos! Eu sou Kanata Yanagino, o autor do anime “The Faraway Paladin” e um romancista.

ANMTV: Você ganhou muita popularidade recentemente devido a sua obra “The Faraway Paladin”. Poderia dar um breve resumo sobre a história?

Yanagino: Uma criança cresce numa cidade abandonada. Só existem esqueletos, múmias e fantasmas nesse local. Esses três mortos-vivos são sua família. Essa é uma história sobre uma criança que gradualmente cresce e, eventualmente, se torna um adulto que deixará seu lar e se tornará um grande herói. Você acha que essa é uma história fora de moda? Na verdade, eu estava tentando criar uma história fora de moda, então fico feliz se considerá-la uma!

ANMTV: Quando você decidiu se tornar um romancista? Já havia escrito alguma obra antes de “The Faraway Paladin”?

Yanagino: Eu era uma criança que adorava livros. Por isso, sempre tive um vago desejo de ser romancista. Entretanto, nunca pensei em me tornar um romancista. Sempre pensei que era um trabalho para gênios, longe de mim. Mas em 2014, creio, um amigo meu começou a submeter entusiasticamente seu trabalho a um prêmio de romancista. Ele também queria ser uma romancista profissional, mas não achava que pudesse ser uma. Ele apenas disse: “Vou dar o meu melhor pelo meu sonho pelo menos uma vez e provar que não sou um vagabundo que desistiu sem tentar nada”. Assim como Rocky Balboa no filme Rocky, que desafiou o invencível campeão Apollo. Durante os primeiros meses, eu assisti com um olhar frio. Eu continuava sendo rejeitado. Mas meu amigo continuou tentando. Depois de seis meses, meu amigo não desistiu. Ele continuou a provar seu ponto de vista. Naquela época, eu já havia mudado de idéia. Eu também queria provar que eu não era apenas um pedaço de lixo cínico para meu amigo. O fogo de uma mente desafiadora havia sido acendido em mim. Assim, em 2015, comecei a escrever meu primeiro romance. Estava planejando entregá-lo a um prêmio de novato como meu amigo, mas pensei que fazê-lo do nada seria imprudente para mim, pois nunca havia escrito um romance antes. Então, como prática, decidi tentar escrever um livro inteiro em um site de romances da web onde meu trabalho favorito, “Mushoku Tensei: Jobless Reincarnation”, foi publicado. No entanto, o destino me pregou uma peça aqui. O título do meu trabalho de prática se chamava “The Faraway Paladin”, como você provavelmente sabe. Este trabalho foi bem recebido pelos leitores, subiu no ranking de um site de romances da web e foi oferecido diretamente para publicação. Eu me tornei um profissional antes mesmo de ter me candidatado ao Prêmio de Novato do Ano. Sim. Se você está lendo isto agora mesmo, você poderia estar preocupado com a deterioração do meu relacionamento com meu amigo. Ciúmes. Grudes. Lutas. Separação. É fácil imaginar uma cena assim. Mas não se preocupe. E deixe-me me gabar do meu maravilhoso amigo. Meu amigo comemorou meu sucesso e passou a ser um romancista profissional. Os dois ainda são bons amigos. Um final feliz, não acha?

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

ANMTV: De onde tira inspiração para suas histórias?

Yanagino: Eu também não sei. Realmente, não sei. Inspiração é um mistério. Para “The Faraway Paladin”, a primeira coisa que surgiu em minha mente foi um garoto sozinho numa cidade abandonada. Por que ele está ali? O que aconteceu com sua família? O que o destino planeja para esse jovem? Como ele irá comer e se tornar forte nessa cidade vazia? A partir das imagens que vieram em minha mente, comecei a pensar nisso como um quebra-cabeça que consegui resolver. Mesmo assim, não faço ideia de como Will surgiu em minha cabeça em primeiro lugar.

ANMTV: “The Faraway Paladin” foi, inicialmente, publicado no website Shōsetsuka ni Narō. Como foi a recepção da história pelos leitores?

Yanagino: Como eu já disse, a popularidade da história explodiu após eu terminar de escrever o 1° capítulo, ou o 5° episódio do anime. Eu lembro do quão feliz fiquei em receber tantos elogios entusiasmados. Naquela época, me disseram que a história lhe faziam chorar, que fazia o sangue ferver, que tinha uma pitada de fantasia medieval e tinha uma ótima visão de mundo. É algo bem parecido com os elogios que estou recebendo dos telespectadores do anime. Por isso, estou me sentindo nostálgico.

ANMTV: A editora Overlap é responsável pela edição física da novel desde março de 2016. Você ficou surpreso quando recebeu uma proposta da editora? Como foi todo o processo até a publicação?

Yanagino: Eu fiquei muito surpreso. Na verdade, na época, eu estava na posição de escolher a editora, já que havia recebido propostas de diversas empresas para a publicação de uma versão física. Eu não apenas poderia me tornar um escritor, mas poderia escolher onde publicar meu livro! Eu podia até negociar alguns termos. Eu nunca tinha escrito uma novel até poucos meses antes. “Você está brincando comigo?” Estava tão nervoso que meu coração estava quase partindo e pensei muito na minha escolha. Depois de muito pensar, decidi aceitar a proposta da OVERLAP, que era uma novata na época. Até hoje, não me arrependo dessa escolha.

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

ANMTV: A serialização de um mangá é, na maioria das vezes, bastante cansativa, mas como é a sua rotina como escritor? Também é desgastante como a de um mangaká?

Yanagino: Na verdade, nesse exato momento, estou tirando uma pausa da escrita devido uma doença relacionada ao estresse chamada “Transtorno de Adaptação”. O estresse mental é uma constância para autores. É difícil. Nós, romancistas, não precisamos realizar um trabalho manual tão detalhado como mangakás. Ao invés disso, nós temos que pensar, repensar, escrever e reescrever histórias em nossas mentes. Fisicamente, é definitivamente mais fácil que ser um mangaká, mas seu cérebro estará tão cansado quanto um ou até mais cansado ainda.

ANMTV: Existe alguma atividade que goste de fazer em seu tempo livre?

Yanagino: Já ouviu falar de “Dungeons & Dragons”? É um RPG que você joga com lápis e papel. Eu amo jogar com meus amigos usando ferramentas de conversa on-line. É um hobby que tenho praticado por cerca de 10 anos. Eu acho que o motivo que pude escrever minha primeira novel tão bem foi porquê pude preparar o terreno com minha criatividade através desse jogo. Claro, também amo ler, assistir filmes e jogar games “normais”. Para hobbies físicos, estou atualmente fazendo treino de peso e alongamentos leves como um hábito. Eu costumava praticar um pouco de artes marciais, chute em sacos de areia e arremesso de pessoas, mas não os faço há muito tempo. Gostaria de adicionar mais hobbies para minha lista de coisas a se fazer quando não estou ocupado.

ANMTV: Kususaga Rin é o ilustrador da light novel “The Faraway Paladin”. Qual foi a sua sensação quando viu, pela primeira vez, seus personagens ganhando vida?

Yanagino: Eu não conseguia descrever em palavras. Isso porque Kususaga Rin foi o artista que desenhou a capa de “Sword World 2.0”, um dos RPGs japoneses de mesa que estava jogando na época. Ele era o responsável por desenhar os personagens que eu criei. A mesma pessoa, que desenhou a capa do livro que folheei tantas vezes que ficou desgastado, está desenhando ilustrações para o meu livro. Eu, realmente, não sei como descrever, mas fiquei tão feliz que ainda não sei explicar.

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

ANMTV: Falando em personagens, quem é o seu personagem favorito da história e porquê?

Yanagino: Eu considero meus personagens como meus filhos. Então quando as pessoas perguntam qual é o meu favorito, eu travo. Você não pode dizer para seu próprio filho que “eu gosto mais desse, e depois prefiro esse”. Você pode? Mas se eu tivesse que dizer, acho que seria o personagem principal, Will. Ele foi o primeiro personagem que surgiu em minha mente e partiu numa aventura comigo. Ele cresceu tanto e pôde viajar para diferentes países ao redor do globo, além até da minha imaginação. Quando fiquei doente e não pude escrever, ele, silenciosamente, me ajudou. Estou muito orgulhoso dele e o considero como meu próprio filho.

ANMTV: Uma adaptação em mangá desenhada por Mutsumi Okuhashi também está atualmente em serialização. Qual é o seu envolvimento na produção do mangá? Você interfere constantemente, apenas em alguns detalhes ou o autor é livre na produção do mangá?

Yanagino: Sobre o mangá, deixo a maior parte do trabalho para Mutsumi Okubashi-sensei. Claro, eu checo o manuscrito, mas Okubashi-sensei é um maravilhoso mangaká e compreende a novel muito bem. Então eu raramente tenho que pedir para corrigir algo. De vez em quando encontro um pequeno erro ou uma pequena parte que não parece certa, e isso é tudo que peço para ele corrigir. Ocasionalmente, recebo algum pedido do editor-chefe como “Eu quero saber o encantamento mágico usado pelo personagem nessa cena”. Nesses casos, respondo com o encantamento. Esse é o máximo que interfiro na adaptação.

ANMTV: E, finalmente, no mês de outubro tivemos a estreia do anime de “The Faraway Paladin”. Qual é o sua colaboração na produção? É similar ao seu envolvimento no mangá?

Yanagino: Em termos de design, é similar ao meu envolvimento no mangá. Não sei desenhar, então apenas olho e aponto as partes que estão obviamente erradas. Como uma pessoa que consegue apenas escrever, não há sentido em dizer coisas fora da minha especialidade. Do outro lado, quando entro no campo do script, um mundo de texto, estou um pouco mais envolvido. Eu consulto os responsáveis pelo script perguntando e respondendo sobre os diálogos, movimentos e visão de mundo detalhadamente, além de enviar materiais. Contudo, os escritores do script são muito bons e seus trabalhos são excelentes, então também não há tantas discrepâncias. Era apenas uma questão de refiná-lo para encaixá-lo melhor dentro do limite de nossos recursos. Eu também escrevi o script para as mini-animações extras que costumo traduzir no Twitter. Tiveram muitos trabalhos cheios de detalhes, o que transformou o processo de animação em algo muito mais complicado do que a adaptação em mangá.

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

ANMTV: Poderia contar um pouco sobre como é o processo adaptação do anime? A decisão da produção foi decidida muito tempo antes? O que sentiu quando soube que sua obra receberia uma animação?

Yanagino: “Uma adaptação em anime? Você está brincando, certo?” Foi assim que eu me senti. O processo de produção da animação é normalmente preparado e produzido por um ou dois anos após o contrato. Eu mencionei mais cedo que tenho um “Transtorno de Adaptação” e, naquela época, estava no auge dessa doença. Eu estava tão sobrecarregado pela ansiedade e medo que meu cérebro havia criado, e também tão triste que não conseguia criar uma história, como se estivesse numa areia movediça. Eu me encontrava num estado onde Okubashi-sensei, responsável pela adaptação em mangá, estava carregando “The Faraway Paladin”. Minha mente estava completamente depressiva. Se alguém tivesse me dito naquela época: “Tenho uma coisa importante para te contar”, eu pensaria que a obra seria cancelada. Quem no mundo esperaria ouvir “Nós vamos adaptá-lo em um anime”? Mas isso é o que saiu da boca do editor. Posteriormente, até o presidente da editora me ligou numa vídeo chamada para explicar a situação. Eles acreditavam que a história de um escritor quebrado, que estava muito doente para continuar, tinha o pode de comover os corações das pessoas. Enquanto eu estava apenas sofrendo por conta da minha doença, eles se esforçaram bastante e continuaram a coordenar o processo de animação. Recentemente, venho tomado medicamentos e recuperado parte da minha vitalidade e, agora, estou apto a ajudá-los. Sou realmente grato ao Okubashi-sensei e aos funcionários da editora. Um dia, definitivamente, retornarei o favor.

ANMTV: Após a estreia, você também passou a interagir diariamente com seus fãs internacionais através do twitter, incluindo os brasileiros, lhe tornando extremamente querido pelo seu público. Quão importante você considera essa interação? Por que decidiu fazê-la?

Yanagino: Quando eu era um garoto, peguei um livro da estante do meu pai e li. Era um livro velho. Era um livro baseado em fatos reais sobre um jovem japonês que viajou por todo o continente eurasiano até a Europa através da região da Rota da Seda que era bastante pacífica na época. Ele mal consegue falar a linguagem local, mas interage com diferentes pessoas de diferentes países e viaja através de ônibus e trens. Era um ótimo registro de suas viagens, tanto boas como mais. Desde aquela época, sempre fui fascinado por viajar e conhecer diferentes culturas, mas meu corpo não é tão forte e minhas habilidades de comunicação são terríveis. Então eu comecei a viajar em mundos imaginários e me apaixonei pela fantasia. Agora, minha obra se tornou um anime. Ao invés de mim, os personagens que eu criei agora estão viajando pelo mundo! O que pode ser melhor que isso? Agora, graças ao avanço das ferramentas de tradução, até eu, que não sou bom em línguas estrangeiras, posso falar o idioma de outro país, assim como o jovem do antigo livro da estante de meu pai. Como esse sonho pôde se realizar? Então, eu tentei seguir o exemplo do jovem do livro e conversar com os leitores em sua própria língua. Eu acreditei na boa-fé das pessoas que gostavam dos mesmos assuntos que eu, e recebi muitas respostas positivas. Fiquei tão feliz que continue interagindo. Eu estou realizando meu sonho de infância, o qual Will e seus amigos tornaram realidade.

ANMTV: Com interações em tantas línguas diferentes, surgiu a vontade de aprender algum novo idioma?

Yanagino: Eu sempre quis aprender um novo idioma que não conheço. Mas apenas não tenho um bom senso para aprendê-las e tempo. Eu acho que é praticamente impossível se tornar proficiente usando ferramentas de tradução. Contudo, gostaria de apenas ser capaz de dar simples saudações e “obrigados” sem necessitar dessas ferramentas.

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

ANMTV: Em seu Twitter, você comenta bastante sobre o anime, lê as opiniões dos telespectadores, responde algumas perguntas e também comenta sobre seu dia a dia. Mas o que mais gosta de fazer quando interage com seu público?

Yanagino: Não há nada em particular que eu queira fazer. Eu uso Twitter com uma rede social comum. Assim como você disse, é um local para comentar sobre o anime, conversar com seus seguidores e tweetar sobre o meu dia a dia como um diário. Não tenho desejos especiais. Eu quero ser amigo de diferentes pessoas através das redes sociais, como qualquer um. E, recentemente, estou muito feliz de ter mais amigos que falam outros idiomas. Isso é tudo.

ANMTV: O anime é exibido semanalmente pela Crunchyroll no Brasil e recebe diversos elogios, mas qual é a sua opinião do anime? É uma adaptação fiel ou possui algumas diferenças em relação a novel?

Yanagino: Eu acho que é uma adaptação muito boa que é fiel à história original. Eu estou realmente satisfeito e grato por ela. Claro, existem limitações em termos de recursos como dinheiro, mão de obra e tempo. Também existem limitações nas éticas de transmissão na TV. É engraçado como, por exemplo, todos evitam mencionar diretamente o que Will, um homem menor de idade, bebeu que fez ele perder a consciência. É como “o objeto cujo nome não deve ser mencionado”. Estou ciente que existem limitações tangíveis e intangíveis e que também existem limites. Contudo, dentro dessas limitações, toda a equipe da animação deu o seu melhor. Então, eu estou verdadeiramente satisfeito e grato.

ANMTV: O que os fãs que estão acompanhando o anime semanalmente podem esperar da história?

Yanagino: Um mistério envolvendo uma família, uma cidade e a história do herói. Um mundo que se expande cada vez mais depois da partida ou uma batalha heróica. Eu acho que existem muitas coisas que os fãs esperam da minha obra. Eu, sinceramente, espero que a minha história possa atingir essas expectativas.

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

ANMTV: Muitos autores passam mensagens ou críticas sociais em seus trabalhos. Existe alguma mensagem que deseja transmitir com “The Faraway Paladin”?

Yanagino: Não, eu não tenho uma mensagem para transmitir. Porque eu escrevi “The Faraway Paladin” apenas como entretenimento. Eu quero que as pessoas assistam isso depois do trabalho ou escola com uma bebida na mão e digam relaxados: “Eu tive um ótimo dia hoje, agora vou dormir”. Eu escrevi essa obra com a esperança que seria dessa forma. Então, primeiramente e o mais importante, eu quero que as pessoas se divirtam. Claro, tem vezes na história onde os personagens pensam sobre temas filosóficos ou encaram dilemas e entram em problemas. A audiência pode pensar sobre algo ou sentir uma mensagem proveniente da história. Eu não quero negar isso, mas tenho tentado fazer com que os telespectadores possam apenas assistir e aproveitar. Contudo, não tenho a intenção de dizer “Essa é a resposta” ou “Essa é a mensagem”. Por favor, aproveite de sua própria forma.

ANMTV: Agora, uma pergunta similar: Se tivesse que descrever “The Faraway Paladin” em apenas uma palavra, qual seria e porquê?

Yanagino: É um coquetel de fantasia medieval e outros mundos. Eu gosto de fantasia medieval, mas às vezes é difícil beber diretamente essa bebida. Eu gosto de outros mundos, é fácil de beber como um suco de fruta, mas às vezes não é inspirador. Então, eu pensei que Se conseguisse misturar os dois, com certeza seria delicioso. Assim como a “caipirinha” que meus irmãos e irmãs brasileiros me apresentaram. Mas eu deixo seus gostos pessoais decidirem se esse coquetel deu certo ou não.

ANMTV: Infelizmente, tanto a light novel quanto o mangá de “The Faraway Paladin” não foram licenciados no Brasil. Você acha que, com o sucesso que o anime está fazendo, a situação pode mudar?

Yanagino: Sinceramente, espero que sim. Espero que ao menos o mangá seja traduzido. Contudo, não há nada que eu possa fazer sobre isso. No meu contrato, deixei todos os direitos de tradução para a Overlap. Então será uma conversa entre a editora brasileira e o departamento de licenciamento da Overlap. Eu posso apenas torcer que dê tudo certo. Estou no mesmo barco que você.

Overlap / Children’s Playground Entertainment / Divulgação

ANMTV: Gostaria de deixar uma mensagem ou agradecimento para seus fãs no Brasil?

Yanagino: Mas é claro! Todos no Brasil responderam muito entusiasmados minhas divulgações em um português muito pobre. Tem uma diferença de 12 horas, então eu certamente estou twittando em horários inconvenientes para vocês, mas sempre respondem. Eu estou muito feliz. Obrigado! Eu passei a amar o Brasil. Da próxima vez que eu for visitar uma cidade grande, definitivamente irei a um restaurante brasileiro. Todas as comidas brasileiras que vocês me contam parecem deliciosas. Eu estou certo de que irei comê-las logo e postar uma foto no Twitter. Eu realmente espero que um dia eu possa cumprimentar meus “manos e manas” brasileiros.

ANMTV: Para finalizar, farei uma pergunta bem boba. Qual é a sua estação do ano favorita?

Yanagino: Recentemente, o outono se tornou minha estação favorita. Porque é quando o anime vai ao ar! Mas o Brasil está no hemisfério sul, não é? Então aí é primavera, estou correto? As estações são opostas e a diferença de horário são exatamente de 12 horas. É meio engraçado ver pessoas de países tão diferentes conversando sobre tópicos em comuns.


Nós agradecemos pela participação de Kanata Yanagino nessa entrevista. Lembrando que o anime está disponível em transmissão simultânea na Crunchyroll, com uma dublagem em português já anunciada.

Comentários