Análise – Sword Art Online: Progressive – Ária de uma Noite sem Estrelas: o recomeço de SAO

Reprodução.

Todos os fãs da franquia estão aguardando ansiosamente pelo lançamento de Sword Art Online: Progressive – Ária de uma Noite sem Estrelas, ou apenas ‘Progressive’, que traria a famosa história original de Reki Kawahara, mas na visão da personagem Asuna.

Com acesso concedido pela Funimation, o ANMTV já teve a oportunidade de assistir o longa que está marcado para 10 de março. Sem mais delongas, confira o que achamos desta nova produção.

Não irei colocar uma breve sinopse, pois se você já está a pelo menos a alguns meses familiarizados com animações japonesas, já deve saber (pelo menos) a base da trama de Sword Art Online: Kirito, um jovem gamer, acaba preso no VRMMORPG, Sword Art Online, e precisa achar um jeito de zerar o jogo e sair de lá juntamente de Asuna.

O longa inverte os papéis de protagonista e personagem secundário, ou melhor, Kirito e Asuna. Começamos a ver toda a história por outro ponto de vista, o que pode não parecer atrativo para muitos que já assistiram o anime, mas que também traz mais detalhes e coisas tiradas “doku”.

Trazendo esses detalhes e explicações adicionais, SAO: Progressive acaba enrolando e testando a paciência de alguns espectadores, com um ritmo lento que apesar de detalhar e melhorar a história, acaba cansando. Pouco foi avançado nas 1h30m de duração, pegando apenas o 1° andar.

O ponto mais positivo, de fato, é o desenvolvimento da Asuna. Convenhamos, ela não teve o destaque ou desenvolvimento merecido originalmente. É uma personagem muito interessante e foi incrível ter mais sobre seu passado, com uma perspectiva totalmente diferente do que tínhamos.

ASCII Media Works / A-1 Pictures / Divulgação

Mas ainda não entendi exatamente a classificação de Progressive. Acreditava ser uma exata recontagem da trama original sob o ponto de vista da Asuna, mas, após assistir, tive a impressão de ser uma releitura de Aincrad tendo Asuna como protagonista, já que vários fatos são modificados para termos um background sólido e plausível da personagem, algo que não seria possível seguindo a história inicial.

Se você assistiu o anime (e prestou atenção, ao contrário de mim) pode perceber logo de cara mudanças na trama e personagens que não estavam ali antes, e não ficar se perguntando se aquela pessoa realmente apareceu e você, simplesmente, não percebeu. Tive, inclusive, que rever os dois primeiros episódios da produção para ver se não estava biruta. Não vejo sentido adicionar personagens (antes inexistentes) em situações onde eles não estavam, para, puramente, adicionar contexto.

Um 2° longa da saga Progressive já foi anunciado, com estreia marcada ainda para 2022, mas se ficar apenas enchendo a trama com muitos detalhes, mas sem apresentar realmente novos conteúdos (não reciclando partes já mostradas no anime com algumas mudanças) de andares totalmente ignorados anteriormente, o interesse em assistir será minúsculo.

Por outro lado, a animação está maravilhosa. Apesar de ser um baita sucesso, a adaptação em anime de Aincrad não teve uma produção muito caprichada. Felizmente, o longa corrige e adiciona cores mais vibrantes, efeitos, e melhora os traços dos personagens.

A música tema do filme, Yuki de LiSA, foi amplamente divulgada nos comerciais e vídeos promocionais da produção. Admito que fiquei o filme inteiro esperando o momento que a música fosse tocar, mas fui pego de surpresa ao ouvi-la apenas nos créditos de encerramento. A canção é incrível, mas não ter tocado no longa em si me decepcionou…

Se você é um grande fã de Sword Art Online, com certeza irá gostar e aproveitar. Por outro lado, se já assistiu o anime e for apenas um “apreciador” ou, até mesmo, indiferente em relação a adaptação, pode acabar achando o filme meio tediante e extremamente lento. Mas caso nunca tenha tido contato com a franquia, pode começar por aqui.

Sword Art Online: Progressive – Ária de uma Noite sem Estrelas não agradará todos os tipos de público. Traz Aincrad, o 1° arco da obra, e melhora a trama e adiciona muitos detalhes, mas que, sendo sincero, não mudaram tanto minha opinião em relação a história (e também não mudaram tanto a história original). É boa, mas esquecível. Por enquanto, você não estará perdendo tanta coisa ficando apenas no anime.

SAO: Progressive – Ária de uma Noite sem Estrelas estreia em 10 março nos cinemas brasileiros, com sessões dubladas e legendadas.

*As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não remete necessariamente a posição do ANMTV.*

4 respostas para “Análise – Sword Art Online: Progressive – Ária de uma Noite sem Estrelas: o recomeço de SAO”

  1. ChrysMonkeyQuest disse:

    É bem comum mesmo acharmos que Progressive é uma mera recontagem, mas na verdade, é uma história própria, apenas enraizada da mesma forma.
    Uma pena que tenham adaptado apenas o primeiro andar, é depois dele que Progressive mostra mais suas partes diferentes.

  2. Makoto Bakura disse:

    “mas se ficar apenas enchendo a trama com muitos detalhes de andares totalmente ignorados anteriormente, o interesse em assistir será minúsculo”

    Mas isso sempre foi a proposta do Progressive
    Ir andar por andar, calmamente e leeeeeeeeentaaaaaaameeeeeeeenteeeeeee, mostrando o máximo de detalhes de uma história que a gente já assistiu, adicionando coisas novas que não estavam lá antes

    O filme simplesmente fez EXATAMENTE o que era pra ter feito
    E melhor ainda que foi só um Andar, o meu medo era que eles fizessem mais de um andar, o que seria considerado “rushar” o Progressive… Resumindo, os pontos negativos que foram citados, na verdade são pontos positivos (pelo menos no caso de SAO Progressive)

    • João Gabriel disse:

      “…mas se ficar apenas enchendo a trama com muitos detalhes, mas sem apresentar realmente novos conteúdos (não reciclando partes já mostradas no anime com algumas mudanças) de andares totalmente ignorados anteriormente, o interesse em assistir será minúsculo.”

      Obviamente eu sei que ele reconta a história e bem lentamente, mas pra quem já assistiu o anime, o longa não traz nada muito relativamente novo e (por isso) não vi tanta diferença com o mostrado no anime (por exceção do passado da Asuna). Ou seja, quem assistiu o anime não vai estar perdendo muita coisa, pelo menos no primeiro longa.

      Ele cumpre exatamente sua função, mas acabou de tornando meio “entendiante” pra quem JÁ CONHECE a história.

  3. DemK disse:

    E eu ansioso para ver o filme, mesmo que nao tenha muitas mudanças é muito bom ver as coisas da perspectiva da Asuna.

    E infelizmente nao vou poder ver o filme no RJ, ja que decidiram colocar novamente os filmes de animes em apenas 1 lugar lá no centro.

    Nao entendo a dificuldade de colocar umas salas em mais de 1 cinema, de forma mais espalhada nem que seja 1 sala. Mas colocar 1 cinema para todo o Rio de Janeiro é sacanagem. Ta sendo igual Boku no hero e os demais que decidiram colocar em 1 cinema caro no RJ e todo mundo que nao morava no centro nao tinha como ir ver o filme.

    Infelizmente acho que o filme de jujutsu kaisen vai ser a mesma coisa, lamentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.