Análise – Sifu: combate e vingança no melhor estilo Kung-Fu

Reprodução.

Autoria: Henrique Zanardi

Já sonhou em ser um mestre no kung fu? Em Sifu, você terá a experiência máxima, um jogo de ação focado no combate com elementos de rogue like e dos antigos brigas de rua como Street of rage e Final fight .

História

Basicamente, não existe história e sim um pretexto para que seu personagem (sem nome) desça a porrada em vários inimigos, desde capangas de rua a artistas marciais de alto nível. O título se inicia com o personagem Yang e seus capangas invadindo um templo de seu antigo Sifu (mestre em chinês) para roubar um artefato, porém, após Yang destruir toda a escola e surrar os alunos, o mestre decide agir, mas é derrotado sem piedade enquanto seu filho/filha assiste tudo, ainda criança, sem poder fazer nada. Nesse momento, você poderá escolher se seu personagem será homem ou mulher, o que sinceramente não altera em nada, algo que talvez seja um ponto negativo, pois seria muito interessante ter, nem que seja no visual da roupa, uma mudança.

Depois, pulamos para os créditos iniciais, onde entendemos mais a motivação do personagem: vingança!

Os créditos são lindos e acabam servindo como um mini tutorial. Aqui, se destaca um dos pontos mais positivos do jogo: sua ambientação e direção de arte, o que iremos abordar mais tarde.

Você terá o difícil desafio de passar por cinco fases que testarão todas as suas habilidades. Cada responsável pela perda de seu pais precisam ser punidos, e cada chefe representa um elemento chinês: madeira, fogo, água, metal e terra. Ao derrotar cada chefe você tem a opção de eliminá-lo ou poupá-lo, uma escolha que infere diretamente no final do jogo, podendo ser final bom ou ruim, portanto faça a escolha mais sábia.

Gameplay

Este é o elemento onde o jogo brilha de verdade: sua incrível gameplay. A primeira impressão que tinha assim que bati o olho e comecei a jogar é que estava jogando algum jogo da série Batman Arkham, mas Sifu acaba possuindo uma identidade tão única que a comparação acaba sendo injusta.

Sloclap / Divulgação

No jogo você pode realizar ataques fracos, fortes, defender, esquivar, usar armas como bastões, facões, garrafas, tijolos e etc. Pode realizar combinações que resultam um golpe novo e tantas outras possibilidades. Você também possui uma barra de foco e nela é possível realizar um ataque com o tempo paralisado. Na árvore de habilidade existem vários ataques que você pode comprar. (Uma dica pessoal: a rasteira é a melhor).

Você possui uma barra chamada estrutura que serve para resistir a ataques defendendo. Uma vez que a mesma é quebrada, seu personagem cai e você perde a guarda, ficando exposto para ataques. Sifu é um grande aprendizado onde cada erro pode custar sua vida, então fique de olho!

Falando nisso, o jogo trás um sistema bem inovador: você possui um contador de mortes e a cada vez que isso acontece, mais velho seu personagem fica (alterando de seu visual até a voz) e isso trás vantagens e desvantagens. Ficando mais velho, você ganha mais dano, mas perde um pouco da barra de vida. Existem também habilidades que você só pode obter enquanto tiver uma determinada idade. É possível diminuir o contador, mas não sua idade, então o jeito é refazer certos níveis para diminuir sua idade e o contador. A cada dez caveiras no contador, é game over.

Sloclap / Divulgação

Os arquivos servem como ferramenta narrativa, mostrando onde cada chefe está em um quadro de pistas, como também servem para atalhos, por exemplo: na primeira fase, caso chegue em determinado ponto, você obtém um arquivo que é uma chave para desbloquear uma porta no início do mapa que avança o progresso em 50%. Ajuda muito para quem precisa refazer os mapas otimizando o contador.

Existem totens onde você pode melhorar o seu personagem podendo escolher mais durabilidade das armas, aumento na sua estrutura entre outros. A partir daí começa o estilo roguelike, pois caso recomece uma fase que você já foi ou desistir no meio do caminho, você perderá essas melhorias. Contudo, é importante deixar claro que infelizmente a câmera nesse jogo é desastrosa. Caso você fique cercado por inimigos em um canto, a câmera não responderá bem, resultado em que você pode perder uma vida.

Talvez, o que poderia também ajudar é ter o comando de travar a mira em um personagem, isso facilitaria na hora de golpear um inimigo em meio a tantos outros e a câmera agisse mais organicamente.

Gráficos

Sloclap / Divulgação

Como dito acima, a direção de arte do jogo está de parabéns. Os traços no estilo cartoon em uma paleta de cor forte e elementos surreais trazem uma temática única. Tudo é harmonioso, suas cores fortes fazem você usar o modo foco a cada sessão do jogo. Uma coisa que é impressionante é a fidelidade dos movimentos, que tiveram sua captura feita por um lutador marcial profissional.

O título chegou ao Brasil com legendas em português e dublagem em inglês. Também foi anunciado que em breve o jogo chegará com dublagem em chinês, fidelizando ainda mais sua proposta. Uma DLC encontra-se disponível desde o dia 15, com balanceamentos na gameplay e no segundo chefe.

Sifu já está disponível para Playstation 4 e 5, Xbox One, Series S e PC.

*As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não remete necessariamente a posição do ANMTV.*

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.